O Ministério Samah faz um som inovador, desafiador e fora dos padrões do pop rock nacional 🎸 Preocupado em espalhar palavras edificantes e livres de quaisquer rótulos, o quarteto entra com tudo nos princípios do #SetembroAmarelo 👐 Entre uma mensagem de valor social e outra, essa galera passou por aqui no blog para trocar uma ideia especial 🎶

1) Em pleno século XXI, o rock gospel ainda encontra resistência por parte das outras vertentes do estilo?

João Costa [baixista; líder da banda]: Sim, principalmente na nossa região (Sul do Brasil, Oeste de Santa Catarina), onde os estilos sertanejo e gaúcho prevalecem. Não só no meio gospel, como também no secular encontramos resistência no sentido de sermos “rotulados” como “banda gospel”. Música é arte. E dentro da arte expressamos o que vivemos política e socialmente, nossos sentimentos e, no nosso caso específico, a fé em Cristo. Por isso, nos consideramos uma banda de rock que transmite a mensagem do amor de Cristo, e não uma “banda gospel”.

2)  A sonoridade do single “Confiar” é diferente de tudo que rola no pop rock brasileiro atual. Quais foram as referências para escrever, produzir e tocar a música?

Kelvi Veloso [guitarrista, produtor musical; compositor]: Na hora de escrever, escrevo sobre mim mesmo, minha experiência… Na hora de compor, é complicado citar uma referência. É um pouco de tudo que já ouvi e me influenciou, do rock ao jazz… Não me prendo a gêneros, só deixo rolar… Nunca escolho um estilo, não penso nesses termos, acontece naturalmente. Na hora de produzir, sigo da mesma maneira; porém, com a música já composta consigo criar uma “imagem” na minha cabeça de como a música vai ficar, e aí trabalho pra alcançar essa “imagem”.

Single apresenta sonoridade inovadora (Imagem/Divulgação)

3) “Confiar” é uma prévia de como vai ser o próximo álbum do Ministério Samah?

Kelen Costa [vocalista]: Na verdade não temos pensado em um “próximo álbum” e, sim, em “próximas músicas”. Com o fácil acesso às ferramentas disponibilizadas na internet, o cenário musical tem mudado o tempo todo e, como tudo é digital, não temos mais a pretensão de gravar discos, apenas singles [mas nada impede que esses singles venham a fazer parte de algum EP futuramente].

4) Quais são as reivindicações do “Punk Cristão”?

Fernando Bossini [baterista]: Não sei se podemos dizer que seriam “reivindicações” [risos]. Acho que soa mais como um “desabafo!” A mensagem que passamos nessa música tem muito a ver com os pré-julgamentos que as pessoas enfrentam todos os dias [seja nas igrejas, ou no trabalho, ou na rua, ou na faculdade]. Sabemos que, hoje, muitas pessoas tem sofrido discriminações na sociedade e nós, como cristãos, também temos passado por isso por não nos deixar formatar a um padrão.

5) Vimos por aí que vocês sempre tiveram ótimas experiências com a divulgação no Palco MP3. Comentem sobre os frutos colhidos com essa parceria!

Kelen: O single “Confiar” já estava pronto há 1 ano e a gente não tinha conseguido lançar por falta de recursos pra produzir um clipe. Hoje, é complicado estar nesse mercado tendo apenas um áudio pra oferecer. A internet tá cheia de vídeos bombando, e a gente viu a necessidade de ter um conteúdo em vídeo pra poder ter uma visibilidade maior e, consequentemente, fazer com que a mensagem transmitida chegasse mais longe.

Banda é clicada durante gravação de clipe (Foto/Divulgação)

Eu, particularmente, acredito que nada acontece por acaso e penso que essa “parceria” foi totalmente preparada por Deus! O fato de 3 músicas nossas (de um disco “upado” em 2014) ter rankeado, nos levando a alguma posição de destaque no Palco MP3 no começo desse ano gerou uma certa repercussão na nossa cidade e arredores. Isso, pra gente, foi muito inesperado! Numa segunda-feira de manhã, fui informada sobre o destaque e fiz uma postagem na nossa página.

No dia seguinte, o print da postagem havia sido replicado nos jornais regionais enfatizando a qualidade da música local (o que, posteriormente, nos rendeu matéria completa, com foto de capa). Depois disso, fizemos um vídeo de agradecimento e muito mais gente começou a procurar pelo nosso perfil no Palco. Quanto mais as pessoas nos procuravam, mais o Palco rankeava nossas músicas e, em decorrência dessa movimentação toda, foram várias semanas de entrevistas (rádios, web rádios e televisão). “Ressuscitamos” várias canções do disco anterior pra fazer ao vivo nos programas. Foram umas 2 ou 3 semanas muito corridas e, pra completar nossa alegria, Deus nos apresentou pessoas dispostas a entender nosso projeto e disponibilizar os recursos necessários pra colocá-lo em prática.

Nesta segunda-feira (10), data em que voltamos nossos olhos às Campanhas de Prevenção ao Suicídio, o #SetembroAmarelo, estamos às vésperas do lançamento do #webclipeconfiar, que foi pensado como uma ação social direcionada, justamente, às pessoas com depressão, vícios e todo tipo de problema social. Então, pra resumir isso tudo em poucas palavras… não apenas entrevistas, contato com produtoras e patrocínio foram os frutos que colhemos por intermédio das divulgações feitas pelo Palco MP3, mas através desse canal, creio que a mensagem de valor social que queremos transmitir nessa nova etapa poderá “soprar” muito mais longe…

Dê o play e confira a mensagem de valor social da banda: