Escrever uma letra que seja poética, bem feita e faça a diferença na vida das pessoas é uma das mais belas formas de arte. Há momentos, no entanto, que a inspiração foge. Como consequência, o compositor sente na mente os efeitos do tal do bloqueio criativo.

No texto de hoje, vou te apresentar cinco dicas para otimizar os seus processos criativos. Desde já, saiba que não ofereço métodos milagrosos. O que você verá nas próximas linhas são algumas diretrizes que podem te ajudar a desenvolver melhor suas composições.

Prepare aí seu bloco de anotações e boa sorte ✍️ 🎼

1. Conheça o trabalho de artistas que você não gosta

Experimente trocar os “preconceitos” pelos “pós-conceitos”. Sendo assim, que tal conhecer trabalhos de artistas que não estão entre os seus favoritos?

Você pode começar, por exemplo, dando uma chance para uma playlist que nunca rodou aí no seu player. Mas lembre-se: não é “ouvir por ouvir”, ou seja, preste atenção no desenvolvimento da música, em como a melodia casa com a letra e na interpretação do vocalista.

Menina negra ouvindo música no fone de ouvido

Não tenha medo de ouvir músicas que você não gosta (Foto/Pexels)

Vale também uma observação acerca da organização da lista de faixas, isto é, procure entender como os temas abordados pelas canções são estruturados. Será que já começa com um hit bem animado? Quando é que surge um single mais lento? Esses pequenos detalhes te ajudarão a pensar fora da caixa.

Ah, o exercício de playlist acima também serve para vídeo. Separe um tempinho para navegar no YouTube e dê o o play naqueles vídeos que você “jamais veria”. Vai por mim: os clipes tirados de DVDs ou de shows ao vivo são realmente inspiradores. Se você estiver disposto a realmente observar e aprender, a produção dos seus shows ficarão bem mais caprichadas e, consequentemente, o público terá mais interesse em ver a sua banda arrebentando nas apresentações.

2. Faça um som com outros músicos

Em se tratando de carreira, a sua banda e seu projeto sempre devem ser prioridade. Consequentemente, na maior parte do tempo, você deve tocar e compor com seus companheiros. Certo? Sim, tá muito certo! Só que nada [mas nada mesmo] te impede de fazer um som com outros músicos.

Músicos tocam ao vivo em uma praça

Tocar com outros músicos é um ótimo jeito para oxigenar ideias (Foto/Pexels)

Participar de um show, ir no ensaio e com outras bandas, não é traição. Muito antes pelo contrário! Esse intercâmbio artístico é uma ótima maneira para oxigenar ideias, fazer network e até mesmo desenvolver planos para festivais e turnês conjuntas.

Jamais se esqueça: uma banda nunca deve enxergar a outra como ameaça ou inimiga. Nem mesmo os Beatles eram rivais dos Stones 😉

3. Tenha um caderno de anotações sempre em mãos

É impossível saber quando uma ideia bacana vai aparecer! Pode ser que você “a encontre numa fila de cinema, numa esquina ou numa mesa de bar”, como diz a ótima balada do Frejat. Por isso, tenha sempre tenha em mãos um caderninho, ou um bloco de anotações, ou um app de edição de testo no celular, ou qualquer coisa que o valha, para tomar nota de todo e qualquer insight que brotar na sua frente.

4. Pratique o bom e velho diálogo

Liderando a banda Kiss, Paul Stanley é um dos maiores astros da história do rock. Todo esse sucesso, como você deve imaginar, não é obra do acaso e nem do sobrenatural. Stanley é um cara sábio, simples assim.

Em meio ao seu vasto conhecimento, Paul sempre diz que “os problemas são mesmos. O que muda são os nomes das pessoas e os seus endereços”. E como esse pensamento pode ajudar no processo de compor músicas?

Paul Stanley, guitarrista e vocalista da banda Kiss

Paul Stanley não tem motivos para querer mentir pra você (Foto/Divulgação)

Bem… comece conversando com seus conhecidos e amigos e entendendo quais são seus anseios, suas dores, suas alegrias, suas vitórias e mais um montão de coisas. A partir dessas observações, você terá uma lista de temas para desenvolver letras de músicas, conceitos de álbuns e até mesmo storyboard de clipes.

Agora volte cinco linhas acima e entenda os motivos pelos quais muita gente vai se identificar com sua próxima canção 😉

5. Seja contemplativo

 “Pedra que não rola, não cria limo”, já diz a sabedoria popular. Isso quer dizer que se a tela de seu smartphone for a sua única janela para observar o mundo, você perde um oceano de oportunidades para agregar conhecimento.

Antes de seguir com a leitura, volte ao item de número 3 desta lista ⬆️ 

Um caderno de anotações é sempre ótimo para desenvolver ideias

Tenha sempre seu caderninho de anotações por perto (Foto/Pexels)

Recapitulou a importância das anotações? Então, prepare aí o espaço para tomar notas e se liga:

Saia mais de casa e observe tudo ao redor. Observe as pessoas, perceba a paisagem e fique atento aos detalhes. De repente, uma faixa ou uma frase cravada o adesivo de um carro podem servir de gatilho para uma nova composição.

Outro exercício de contemplação interessantíssimo é o de mudar pequenos hábitos na rotina. Quando for voltar da aula ou do trampo, por exemplo, experimente usar um caminho diferente. Ande por outras ruas, sente no banco de outras praças e almoce em outros restaurantes. Pode até parecer besteira, mas essas poucas alterações trazem muita informação nova 😉

Mais dicas de carreira