Formada por Cauê Siqueira (vocal e guitarra 2), Vinícius Avila (guitarra 1, samples, teclado e segunda voz), mas sempre amparada por talentosos músicos de apoio, a banda Vinces foi formada em Rio Claro (SP), em 2018. O som mistura o mar de referências que é a música brasileira com indie rock e pop. Usando de referência os visuais noventistas e o som despojado e leve, o grupo traz a modernidade eletrônica que promove uma união sonora única.

O resultado, como você pode imaginar, é um caldeirão sonoro bem temperado. As iguarias sonoras vão do rock, com pitadas de Oasis e Arctic Monkeys; passam pelos doses de azeite eletrônico do Muse; e deitam na pimenta brasileira de Jorge Ben, Skank, Djavan e Los Hermanos. Prontinho: tá aí a saborosa receita de influências do Vinces em suas músicas e estilo.

Integrantesnda banda Vinces caminham sob um sol escaldante e um céu de brigadeiro

Vinces fazem o chamado “indie brasileiro” (Foto/Divulgação)

Neste texto, vou te aplicar a experiência sensorial que é o som da Vinces. Prepare aí o seus fones de ouvido, se ajeita na poltrona e bora lá 😉

Primeiros lançamentos da banda Vinces

Ainda em 2018, o duo lançou  as músicas de disco de estreia, Parábolas. Lançado de forma independente, o álbum tem 15 faixas. Entre os destaques da obra estão as faixas A Menina e a Máscara, O Fim e O Meio e  (A) Onde Ela Estiver.

Vinces e o “indie brasileiro”

Devido ao processo de produção de novas músicas, Vinces atualmente apresenta o estilo “Indie brasileiro”, que significa a harmonia do indie rock com as raízes brasileiras. A originalidade se estende na formação, já que é uma banda de rock sem um baterista. O ritmo brasileiro é modernizado com a presença de beats e percussões no palco que mantém o fator orgânico.

Imagem mostra a capa do single Deixa Ela Samba, da banda Vinces

Deixa Ela Sambar, o single que marcou o “indie brasileiro” (Foto/Divulgação)

A primeira amostra dessa nova sonoridade rolou em 2019. Trata-se da faixa Deixa Ela Sambar, produzida por Davi Selingardi. Longe de tentar soar como um samba pós moderno, essa canção é um festival de acertos. Sem pretensão de “revolucionar” um tipo de música que realmente resistiu ao teste do tempo, a banda soube entregar uma música que é moderna e – ao mesmo tempo – respeita as nuances do samba. Ponto pros caras!

Depois do Carnaval, o novo single

Já em 2020, a Vince lançou o single Depois do Carnaval. Desta vez, o indie brasileiro soa de forma ainda mais madura. Nota-se que o arranjo foi milimetricamente planejado para unir – em pouco mais de 3 minutos – a sedução hipnótica da percussão com o frenesi das guitarras do rock britânico.

De quebra, a letra de Depois do Carnaval é uma perfeita reflexão pro povo brasileiro. É tempo de abrir a janela e enxergar as coisas para além dos tempos de folia. Como canta a banda, “o som tocando pra nos acalmar/Enquanto esse navio vai naufragar/Pode se preparar quem não dançou, ainda vai dançar”.

Em tempos comprometidos por crise mundial na saúde, seja perspicaz e “garanta o seu lugar no bote” 😉 Pode começar ficando em casa e assimilando a mensagem realista dessa canção… Afinal de contas, ela não poderia ser mais providencial.