Depois de quase 6 meses afastado dos palcos, tensão, dúvidas e incertezas, finalmente Bruno Cardoso pode sorrir novamente e retornar para os vocais da banda que, há 20 anos, formou junto com Sergio JrFred AraújoVinicius Augusto e Cris Oliveira. A volta do Bruno aos palcos acontecerá no dia 7 de setembro no Rio de Janeiro, cidade natal do grupo, no KM de Vantagens Hall.

Bruno está pronto para voltar aos palcos (Foto/Washington Possato)

Portanto, a partir de setembro, Bruno Cardoso retorna aos palcos e a banda ainda contará com a luxuosa e sempre alegre participação de Thiago Martins. Sendo assim, os fãs do Sorriso terão, por tempo ainda indeterminado, um show único e especial com dois cantores dividindo a cena, numa nova agenda de apresentações: a estreia acontece no dia 7 de setembro, no KM de Vantagens Hall. Falar desse período ainda mexe com os sentimentos de Bruno, mas é cheio de certeza e esperança que o vocalista olha para o futuro:

“Foram 188 dias, 6 meses, mais de 27 mil minutos para repensar a vida, sentir saudades, conhecer com quem posso contar e pra quem quero cantar. “Fiquei internado, sofri calado, tive medo de morrer sim, mas me entendi, me reconstruí e me reergui. Descobri amigos, o valor de um abraço e da família. Tive medo, coragem e força. Mas tive certeza de quem sou, o que de fato importa e quem quero ser daqui pra frente. Estou mais forte e estou aqui pra dizer a vocês: Sorriso, voltei”, celebra.

Vida nova pede música nova e a volta de Bruno será marcada pelo lançamento de “O Impossível”, uma nova música da banda que ganhará videoclipe filmado na Avenida Paulista, em 26 de agosto. O novo single será lançado no início de setembro.

Entenda o caso

Tudo ia “muito bem, obrigado”, quando Bruno voltou de suas férias na Europa. Chegou da Bélgica cansado e no próprio dia de chegada procurou um médico. No exame de entrada na emergência descobriu-se que algo não ia bem com o pulmão e ele foi convidado a ficar no hospital para fazer exames mais completos, pois desconfiavam que estava com pneumonia. Na bateria de exames pedidos, os resultados apontaram a pneumonia, e também que seu coração estava inflamado, com um tamanho bem maior do que deveria e que a sua fração de ejeção sanguínea estava muito baixa, sendo assim diagnosticada uma “Miocardite”.

A doença pouco comum, que pode ter uma causa viral ou bacteriana, não revelou sua origem após a biopsia, mas afastou Bruno da rotina dos shows que ele, em mais de duas décadas, nunca havia deixado de cumprir, nem uma única apresentação.

Em pleno ano de celebração dos 20 anos de estrada do Sorriso Maroto com sua formação original, com a agenda cheia de compromissos, o golpe do destino poderia comprometer um dos mais queridos grupos de pagode do Brasil, mas o fato acabou colaborando para uma união ainda maior em torno da banda e seu vocalista, também comoção no meio musical.

Grupo soube lidar com adversidade (Foto/Washington Possato)

Cantores e grupos se colocaram à disposição para participar do projeto criado pra cumprir a agenda já programada antes do quadro de internação de Bruno, chamado: “Todos cantam Sorriso”. Fãs solidários compareceram às apresentações e contratantes de diversas partes do Brasil mantiveram as datas. O cantor e ator Thiago Martins foi convidado para defender os vocais na ausência de Bruno e o resultado foi além do imaginado.

Após ter passado por cinco diferentes cardiologistas, cumprir religiosamente a medicação e a rotina de reabilitação cardíaca e pulmonar, Bruno foi liberado para voltar aos poucos até sua plena recuperação e cura.