Você conhece de perto aqueles momentos em que a carreira não sai do lugar? Nada evolui, as coisas não acontecem e até a inspiração parece tirar férias. Mas nãos preocupe, pois temos uma boa notícia:

Tudo isso é fase, amigo! Todo artista está sujeito a esse período de estagnação.

No post de hoje, vamos refletir sobre dicas de como gerenciar esse tipo de crise. Não iremos te ensinar a fazer milagres, mas te ajudaremos a enxergar perspectivas e a buscar soluções.

Não consigo marcar shows

Além de indicar profissionalismo, o cuidado com os shows é um dos pontos mais fortes de uma carreira. Afinal de contas, como diz a sabedoria popular, “quem não é visto, não é lembrado”. Há momentos, porém, que sobram dias no final da agenda, não é mesmo?

Empreender novos shows é a saída para uma banda

Procure uma variedade maior de locais para tocar (Foto/Pexels)

Quando isso acontecer, não se desespere. Esse tipo de situação é comum, até mesmo no mainstream, e é fruto de pequenos detalhes.

Pra começar, analise o problema de dentro pra fora. Faça uma autoavaliação, com senso de autocrítica – por favor, e observe se o seu show não está “batido”. Para tal, você não precisa se martirizar! Procure responder as seguintes perguntas:

  1. O que minha apresentação tem de atrativo?
  2. Quais elementos posso adicionar para que meu show fique diferente?
  3. Como está meu repertório? Tem os mesmos covers que todo mundo toca?
  4. Há quanto tempo não inovo nos meus shows?
  5. O que posso mudar na dinâmica das apresentações?

As perguntinhas acima são só a ponta do iceberg. A partir delas, você consegue nortear sua linha de raciocínio e dar o upgrade necessário.

O palco é o habitat natural de um artista; inovar é preciso

Procure avaliar a dinâmica de suas apresentações ao vivo (Foto/Pexels)

Experimente novas alternativas de locais para tocar ao vivo. Fazer show nos mesmos lugares não é bom para nenhuma das partes envolvidas. Abaixo, um esqueminha para clarear essa informação:

  • público da casa fica saturado, pois ninguém gosta de ver e ouvir os mesmos caras de sempre;
  • artista fica desanimado, afinal, sempre é bom mostrar o trabalho para pessoas diferentes;
  • contratante cai no comodismo, pois acaba não abrindo portas pata outros artistas.

Diante do cenário acima, o melhor que você pode fazer é expandir os horizontes de sua agenda! Além de empreender shows com artistas amigos, faça conexão com agitadores culturais de cidades vizinhas e fique de olho nos festivais. Se quiser mais dicas para marcar shows com mais frequência, clique aqui.

Bloqueio criativo

Que perca a primeira palheta #QuemNunca sentiu que a inspiração acabou. Horas a fio com um violão na mão, mas não conseguir criar uma melodia, realmente é desagradável. O que dizer, então das tardes intermináveis que passamos enchendo o papel com frases de efeito, porém desprovidas de sentido? “Terrível”, pra dizer o mínimo.

O artista precisa abrir o baú de referências

Abra as portas de suas percepções (Foto/Pexels)

Mas já parou pra pensar que, de repente, as fontes de inspiração é que secaram? Quando o assunto é criação, o ideal é não limitar a quantidade de referência. E é aí que o artista precisa “pensar fora da caixa”. A seguir, uma to do list para você abrir as portas de suas percepções criativas.

  • Ouça artistas diferentes, pois esse é o melhor jeito de oxigenar ideias.;
  • Fique de olho nas tendências que o seu estilo musical está seguindo, pois manter os pés no passado é insesato;
  • Experimente compor com outros parceiros. Deixe a vaidade de lado e permita a entrada de novas mentes nas composições;
  • Aprenda a tocar outros instrumentos musicais. Além de agregar valor ao seu trabalho como músico, você vai trazer novas possibilidades de criação para a sua carreira.

Você também pode trabalhar a questão da autoexigência. Se estiver andando em círculos na hora de criar novas músicas, que tal dar uma pausa? Aproveite o descanso para andar em locais diferentes, conhecer gente nova, arrumar o armário e aprender a cozinhar. Faça descobertas em seu próprio quintal!

Necessidade de novos ares

É comum uma banda precisar trocar membros. Infelizmente, a amizade não é o único pilar que sustenta um trabalho artístico. Se um o profissionalismo de um de seus companheiros estiver fora de sintonia com o restante do grupo, conversem francamente e tente encontrar a raiz do problema. Se depois de um tempo a situação não se resolver, a mudança de integrantes – ou até mesmo na formação – torna-se necessária.

Músicos de banda de rock independente

Os músicos de uma banda precisam buscar harmonia dentro e fora da música (Foto/Pexels)

Apesar de incomum, uma outra necessidade de novos ares pode acontecer em uma carreira. Estamos falando da mudança de segmento artístico. Há casos em que a saturação do mercado faz o artista mudar de estilo. Apesar de não ser ilegal e nem imoral, essa postura pode trazer danos irreparáveis. Esse tipo de mudança pode e tende a confundir o público que você conquistou, bem como a galera que você quer atingir.

Há momentos em que, realmente, as mudanças são necessárias. Porém, tome cuidado para não tomar decisões precipitadas. Antes de dar guinadas ou adotar procedimentos, avalie todas as consequências possíveis. Não queremos que sua carreira morra na praia.

Considerações finais

O meio artístico não é lugar para amadorismo. Sempre implacável, o mercado filtra as competências e joga para escanteio a turma que não leva as coisas com seriedade.

Aqui na coluna Dicas de Carreira, nós temos vários posts que te ajudarão a profissionalizar cada vez mais o seu trabalho artístico. Neste link, por exemplo, você vai descobrir os erros que um artista não pode cometer na hora de marcar um show. Mas se você quiser saber como produzir as melhores fotos de divulgação, esse post é o seu lugar.

Ah, e nãos e esqueça de compartilhar este post nas suas redes sociais e nos grupos de WhatsApp voltados para carreira artística. Quanto mais elevado for o nível do profissionalismo dos artistas da cena independente, mais forte fica a novíssima música brasileira.