“Quem tenta ser diferente, apenas fica igual a todo mundo que tenta ser diferente”, diz um verso de uma música do segundo disco do Capital Inicial. Isso quer dizer que o artista, então, é igual aos 8 bilhões de pessoas que vivem (ou sobrevivem) na Terra? Claro que não! Com essas palavras, Dinho Ouro Preto e companhia apenas usaram da ironia para instigar nosso senso autocrítico.

Mas o que fazer para se diferenciar da multidão? 

Uma quantidade infinita de respostas servem para a pergunta acima, concorda? Mas não se preocupe, minhas amigas e amigos, este não é um post cheio de “frases de efeito, porém desprovidas de sentido”. Vamos conversar um pouco sobre como você pode oxigenar suas ideias e observar sua carreira com um olhar visionário e inovador.

Spoiler: não é ciência, magia negra, receita de bolo e nem milagre! São apenas algumas sugestões de atitudes que podem ser seguidas para dar uma sacudida no posicionamento artístico! Afinal de contas, “mais do mesmo” só é legal quando se trata de um dos clássicos da Legião Urbana

Bora refletir um pouco?

Observe tendências de outros mercados

Faz muito pouco tempo, e todos nós entramos na deliciosa onda do “Despacito”. Típico de países vizinhos aqui do nosso Brasil, esse som chegou com tudo e virou febre mundial. Desde então, muitos artistas brasileiros passaram a incorporar elementos do reggaeton com mais intensidade. 

Voltando um pouco mais na linha do tempo, damos de cara com o momento em que “os caras do Charlie Brown invadiram a cidade”. De maneira inovadora, o quinteto santista usou sua brasilidade para temperar um som que tava rolando na Califórnia. Até então, nunca tínhamos ouvido uma banda fazendo um rock pesado, mas melodicamente desenhado por inimitáveis linhas de guitarras. E será que essa busca por referências de outros mercados foi inventada por Chorão e seus companheiros? 

Quatro músicos tocam música tradicional mexicana
Procure ouvir músicas que não fazem parte do seu cotidiano (Foto/Pexels)

Claro que não! A Legião fez algo parecido, bem como RPM, Mutantes, a turma da Jovem Guarda, os artistas sertanejos… Viu só como citei cases de sucesso? Não é demérito dar uma espiada no que tá rolando em outras cenas 😉 Qual foi a última vez que você realmente prestou atenção no trabalho de um artista argentino ou colombiano, por exemplo? Não curte sonoridades latinas? Tudo bem: pense na música feita em uma parte qualquer do Leste da Europa. De repente, a próxima tendência está mais perto do que imaginamos! E com as ferramentas da internet, nem tem como dar desculpas de que é difícil pesquisar. Pense nisso

Cultive bons hábitos

Sei que já leu e ouviu isso por aí várias vezes, mas não custa reforçar: cultive hábitos saudáveis. Se a pandemia te impede de sair pra uma caminhada, procure dicas de exercícios que podem ser feitos na sala de sua casa. Tudo é válido pra não “cria teia de aranha”.

Desenvolva um canal de comunicação com seus fãs. Procure interagir com essa galera, via redes sociais, o máximo possível. Faça suas lives, responda comentários e ouça o que  as pessoas têm a dizer. Sempre surge uma ideia para uma nova letra, um novo som ou mesmo uma importante troca de informações. Aproveite para divulgar seu Palco MP3, sem moderação!

Busque conhecimento

A leitura é um hábito que você precisa cultivar! Procure ler livros, ouvir podcasts e acompanhar blogs sobre os mais variados assuntos. A partir do inesperado, você pode acabar encontrando um insight para compor uma nova música.

Capa do livro Todo Dj Já Sambou, da Claudia Assef
Todo DJ Já Sambou, leitura 100% indicada (Imagem/Divulgação)

No que diz respeito à literatura musical, vou te indicar três livros indispensáveis para que você conheça mais sobre mercado, indústria e produção. Se liga: Todo Dj Já Sambou, de Claudia Assef; Como a Música Ficou Grátis, de Stephen Witt; E Eu Não Sou Cachorro Não; de Paulo César de Araújo. São obras que te ajudarão a refletir sobre os rumos de sua própria carreira. Leia também biografias de artistas famosos, sobretudo os que não são seus ídolos! Sem o olhar da admiração, fica mais fácil para discernir quais experiências e atitudes podem servir de referências.

Aprimorar habilidades também é uma ótima forma para buscar conhecimento. Qual foi a última vez que você estudou uma nova técnica relacionada ao seu instrumento musical? Se ainda não toca nada, que tal começar a aprender? O Cifra Club tem um monte de cursos, muitos deles gratuitos 😉

Mais dicas para sua carreira artística

E já que o papo aqui é sobre dicas de carreira, não deixe de dar uma conferida nos outros posts da coluna Dicas de Carreira. Que tal, por exemplo, aprender como escrever um release de alta qualidade? Ah, por aqui também você fica ligado nos erros que um artista independente não pode cometer.

E não se esqueça de compartilhar o link deste post nas suas redes sociais e grupos de WhatsApp voltados para carreira artística 🎼