Com a intenção de te apresentar os talentos musicais espalhados Brasil afora, nós vamos publicar aqui no blog a série de  “Descobrindo a novíssima música brasileira”. Nesta primeira postagem, iremos te aplicar o som de três artistas da região Sul do país. Posteriormente, as matérias caminharão pelas demais regiões do país!

Spolier: alguns artistas que serão citados ao longo das matérias já são veteranos. Porém, todavia, contudo, o trabalho deles não é necessariamente tão conhecido como deveria ser. Sendo assim, não se assuste com as “velhas novidades” que você possa vir a conhecer por aqui!

1. Os Serranos (RS) – A tradição gaúcha

No ano de 1968, na cidade de Bom Jesus, serra do Rio Grande do Sul, surgiu uma dupla de gaiteiros com a missão de levar a cultura gaúcha para os quatro cantos do mundo. A formação original era composta por Edson Becker Dutra e Frutuoso Luis de Araújo. Posteriormente, ao longo das evoluções e mudanças naturais, o duo se transformou no grupo Os Serranos.

Os Serranos representam a música tradicional gaúcha (Foto/Eduardo Rocha)

Com bastante acordeão, boas histórias nas letras, bailes, cantoria, figurinos e dança, Os Serranos fazem o som que reúne todos os elementos possíveis da cultura gaúcho. Ao longo das últimas cinco décadas, o grupo defende o lema de “ser e permanecer gaúcho”.

Mas báh, tchê! Te aprochega nesse som!

Escalação atual: Edson Becker Dutra (acordeão/voz), Everton Becker Dutra ‘Toco’ (baixo/voz), Daniel Affonso Hack (acordeão/voz), Walter Jeger Jr. ‘Kico’ (voz), Alex Sandro Morais (guitarra/voz), Cândido Mendes Jr. (bateria), Jeferson Buenavista Braz ‘Madruga’ (baixo/voz) e William de Campos Hengen (acordeão/voz).

2. Viola Roots (SC) – Surfando nas boas vibes

Natural da bela cidade de Içara, litoral de Santa Catarina, a banda Viola Roots está na estrada há mais de 15 anos. Formado por Rafael Rosso (voz), Rafael Bacis (guitarra), Stefan Dal Pont (baixo), Yago Machado (bateria), Ramom Pizzetti (percussão) e Fernando Albuquerque (teclados), o grupo faz um reggae com pitadas de pop rock.

Viola Roots faz reggae pra quem gosta de reggae (Imagem/Divulgação)

Caminhando no cenário de forma independente, a banda escreve sua trajetória de maneira segura e gradual. A respeito das letras, a Viola prefere entregar ao público uma atmosfera sonora de paz, pensamento positivo, empatia, amor e boas vibes.

3. Paulinho Mocelin (PR) – Talento que não se mede

Que o Paraná é um dos grandes pólos exportadores de música sertaneja, ninguém duvida. O que não se pode negar, jamais, é a importância da música tradicional paranaense. Um dos gades representantes da cena atual é Paulinho Mocelin. Além de ser um gaiteiro de primeira, ele é cantor, compositor, arranjador e produtor musical.

Paulinho Mocelin é uma força da música paranaense (Foto/Facebook)

Como gaiteiro, Mocelin se destaca por assumir um estilo debochado e fandangueiro. Sempre preocupado em tocar para o povo, ele usa seu jogo de fole para construir músicas suaves, simples, alegres e comerciais.

Por mais que seja um artista polivalente, Paulinho Mocelin não atua sozinho. Em seus trabalhos, ele é acompanhando por Thiago Maurer (bateria/voz), Adriano Chagas (baixo/voz), Rodrigo Souza (acordeon/voz) e Marlon Borba (guitarra/voz). Junto, o quinteto forma o grupo Paulinho Mocelin & Coração De Gaiteiro e leva o seu som fandangueiro pelos quatro cantos do Brasil! 

E não se esqueça: na semana que vem, a gente volta com a turma que vem do Sudeste. Até lá!