Dando continuidade ao nosso “momento desbravador”, cá estamos para te apresentar um pouco mais da “novíssima música brasileira”! Desta feita, nossa escala chega na região Centro-Oeste do país! Se prepare, pois reservamos muitas surpresas sonoras para você!

1. Marina Peralta (MS) – “A música que abraça”

Além de sua louvável beleza natural, o Mato Grosso do Sul é conhecido por ser um dos berços da música sertaneja, incluindo o modernoso “sertanejo universitário”. O que a grande mídia quase não comenta,  entretanto, é que a cena musical do MS vai muito além do ótimo trabalho feito pela turma do chapéu e da bota de cowboy. E na esteira de diferentes sonoridades vindas de lá, a música brasileira ganha o trabalho de Marina Peralta, uma cantora de personalidade marcante e voz única.

Marina Peralta é uma rara joia da nova MPB (Foto/Facebook)

“O nosso desejo é que a nossa música te abrace”, diz Peralta. E ela realmente consegue! Porém, o acalanto que a música de Marina proporciona é o afetuoso abraço da resistência. Assumindo um posicionamento contestador, as letras da artista expõem a indignação diante das falências que o sistema econômico e político do país causa na sociedade. Sem medo de errar, ela canta sobre a condição em que vivem os povos indígenas, sobre a opressão que sofrem as mulheres ou a população pobre da sociedade e sobre inúmeras outras razões sociais. No que diz respeito à sonoridade, ela tem como principais influências estão o reggae, a MPB e o rap.

Além da música diversificada e moderna, Marina Peralta também se destaca pela preocupação em dar ênfase ao movimento de cultura de rua e a possibilidade de transformação.

2Rayane & Rafaela (GO) – Firmadas no “empoderamento”

Estreantes do ano de 2018, a dupla Rayane & Rafaela chegou para provar que a questão do empoderamento feminino na música sertaneja não é apenas uma leve onda passageira. Apesar de jovens no mercado, as cantoras já acumulam boa experiência. Uma das vozes da parceria, Rafaela Miranda chegou a se lançar como artista solo, pela Audiomix, em 2015, e emplacou a canção Luz Apagada. Por sua vez, Rayane tem todo um trabalho como cantora e compositora.

Rayane & Rafaela chegaram chegando (Foto/Site Oficial)

Trabalhando em conjunto, a dupla gravou seu primeiro DVD em Goiânia, em novembro passado, sob a produção de Jenner Melo. Batizado “Happy Hour 10 Pras 6”, o projeto será lançado por meio de 3 EPs, sob a batuta da gravadora MM Music. O melhor de tudo? Simples: você já pode ouvir o “EP1” e o “EP2”!

3. Misael (DF) – Força jovem do hip-hop!

Durante as décadas de 80, 90 e até um pouco de 2000, o DF era a capital brasileira de rock e pop rock. Só pra citar algumas bandas surgidas na região, nós vamos mencionar Legião Urbana, Raimundos e Capital Inicial. De uns tempos pra cá, no entanto, a cultura hip-hop ganhou forças nas adjacências do Planalto Central. Os já veteranos Hungria, Tribo da Periferia e Son’ d’Play estão entre os “bambambãs” que revolucionaram o movimento do rap brasiliense. Da nova geração, o jovem Misael é um dos grandes destaques.

A caminhada de Misael só está no começo (Imagem/Divulgação)

A caminhada do jovem rapper começou ainda na infância, aos 8 anos de idade, quando teve a oportunidade de gravar uma música com o grupo PacificadoresTrês anos depois, quando já tinha 11 anos, participou da música que marcou a história do hip hop do DF, ”Eu Queria Mudar”Atualmente, no meio rapper, Misael é considerado um compositor de primeira grandeza!  Em 2017, aos 20 anos de idade, abraçou a carreira artística e se lançou no mercado.  Sua atual música de trabalho é “Mente Louca”.

4. Arena Country (MT) – Os heróis da resistência

Fazer um som autoral 100% gringo em terras brasileiras, nunca foi uma missão fácil! O grupo cuibano Arena Country, no entanto, acaba sendo um ponto de exclamação nesse mar de reticências. Com pouco mais de 15 de estrada, os caras se transformaram na resistência da música independente.

No meio independente, Arena Country é um exemplo a ser seguido (Foto/Facebook)

A formação atual do grupo é: Rodrigo Marinho (voz/violão), Serginho Cabelo (violino/mandolin/banjo/voz) e Éder Uchôa (bateria). Além do trio titular, alguns dos melhores músicos da região reforçam a banda. No palco, a Arena Country apresenta a energia contagiante da música country norte-americana. O single mais recente é “Não Vou mentir”, versão da música country “Stay With Me”, da banda Brass Bed.

Curiosidades: a banda passou por várias fases e formações. Entre os ex-integrantes da Arena Country estão Fernando Zor, hoje parceiro de Sorocaba, e Paulo Perin, produtor musical e guitarrista da dupla Fernando & Sorocaba.

E não se esqueça: na semana que vem, nós iremos conversar sobre o som da turma que vem do Nordeste. Até lá! Enquanto isso, que tal conferir o trabalho da moçada que vem do Sudeste e do Sul?