Natural da cidade de São João D’Aliança, interior de Goiás, Guilherme Santos é cantor e compositor. Músico autodidata, ele toca violão e viola e começou sua caminhada musical aos 13 anos de idade, ao lado de um amigo de escola, como metade da dupla Guilherme e Henrique.

Em 2010, após o término da dupla com Henrique, Guilherme gravou seu primeiro CD demo, “Olha Pra Mim”. Com produção de Leonardo Lima, a obra contém 16 músicas, incluindo cinco composições autorais. O material caiu no gosto dos fãs de músicas sertaneja devido ao sucesso das músicas “Vai ter que ser amor”, feat. com a dupla Cleber e Cauan; “Sobrenatural”, com participação da dupla Rick e Rangel; além da faixa título.

Guilherme Santos é uma força jovem da música sertaneja (Imagem/Divulgação)

No final das contas, o disco apresentou e projetou Guilherme Santos em sua região. Em 2016, com mais maturidade e experiência, o artista lançou o álbum “Fica Aí Com Seus Amores”.

Segundo disco de Guilherme Santos (Divulgação)

Já em 2018, Guilherme lançou seu primeiro trabalho acústico, “Um Violão E Um Coração”. Repleto de novidades, o disco traz 19 músicas inéditas, incluindo composições de Juliano Tchula, Marília Mendonça, Maraisa, entre outras feras. O som faz uma equilibrada mistura de sertanejo romântico com universitário. Com a impecável produção de Lucas Baldiott, uma das faixas de destaque do disco é “Vestindo o Nosso Futuro”.

Disco acústico de Guilherme Santos (Divulgação)

Preservando sua origem e suas raízes, Guilherme Santos domina a arte de compor, cantar e tocar. Dono de um timbre diferenciado e de um repertório fascinante, ele tem conquistado seu espaço na novíssima música brasileira. De forma independente, ou seja, sem contar com o respaldo de empresários ou de investidores, Guilherme é um retrato fiel do que há de mais promissor no cenário.