O mercado da música está em contante transformação. Essas mudanças, ou metamorfoses, acontecem porque a arte é incognoscível, ou seja, é uma manifestação cultural impossível de ser totalmente conhecida. Neste contexto, tendências surgem, desaparecem, voltam e até acabam. 

Pensando de forma visionário, cá estou para te dar um spoiler de qual será a próxima tendência do meio fonográfico. Desde já, reinterno que nossa conversa de hoje é guiada por palavras de especialistas. Este escriba é apenas a ponte entre você, uma das razões da existência do Palco MP3, e o conhecimento que pode ser um viés para a condução de sua carreira. 

Dito isto, fica o convite à reflexão. Entenda este post como uma possibilidade de insight, e não como realidade incontestável. De repente, no final das contas, você descobrirá um novo talento que pode trazer renda e visibilidade para sua carreira. 

Vamos lá?

Como será o mercado da música no ano que vem?

O Rio Music Market 2020 contou com a participação de Patrick Ross, SVP da Music Ally. Durante o painel Tendências de Marketing Para 2021, Ross comentou que os games se apresentam cada vez mais como uma oportunidade para o mercado da música e que mais artistas vão participar de ações que envolvam os jogos. De acordo com ele, o futuro da música trará mais ferramentas para impulsionar os artistas e gerar experiências diferenciadas através da tecnologia. 

Homem negro, surando controle de videogame e rodeado por equimanetos de composição musical
O mercado de composição de trilhas para games é tendência (Foto/Pexels)

Já que o mercado de games está em acensão, não há motivos para ficar de fora! Compor trilhas para jogos pode ser uma saída para obter retornos materiais e imateriais com o seu trabalho. Afinal de contas, a lei dos direitos autorais protege suas composições do uso não autorizado.

A seguir, você confere alguns passos para aprender a compor esse tipo de obra.

Como compor trilhas para games?

Se você curtiu a possibilidade de trabalhar com trilhas, continue por aqui! Trago conselhos profissionais de Emanuel Fernandes, técnico de áudio do Cifra Club, compositor e produtor de trilhas. Fernandes tem 6 dicas infalíveis para te ajudar dar um start nas suas produções.

1. Seja versátil

Conhecer e dominar o máximo de linguagens musicais possíveis. A diversidade de temáticas no universo dos games requer um repertório de linguagens musical amplo, para construir ideias musicais coerentes com a linguagem e a estética do game. Diferentemente do cinema, cuja função da trilha é construir a narrativa através da música, a imersão é uma consequência. Já nos games, a função da música é trazer a imersão do jogador naquele universo.

2. Conhecimento em tecnologia de áudio e softwares de gravação

Hoje em dia, os criadores de trilha sonora não dependem de estúdios de gravação para criar e produzir as trilhas para games. Por isso, é imprescindível ter o conhecimento necessário em softwares de gravação e produção musical. A não ser que você queira incluir os gastos de produção terceirizada em seu orçamento. 

3. Ter as ferramentas de trabalho sempre à mão

Sabe quando surge uma excelente ideia musical e você pega o instrumento para fazer ajustes necessários, tipo afinar ou escolher um timbre, e de repente, a ideia sumiu? Terrível, não é mesmo? Essa situação dramática, no entanto, pode ser minimizada se o seu ambiente de trabalho estiver devidamente organizado. 

Ter as ferramentas sempre à mão, seja lá qual for a sua profissão, é importantíssimo para produtividade. 

Guitarrista grava trilhas no computador, em home studio
Ambiente de trabalho organizado é ideal para compor trilhas (Foto/Pexels)

Uma dica, é deixar sempre seu instrumento principal do seu lado, já pronto para gravar qualquer ideia nova. Você também pode experimentar é selecionar timbres mais prontos para construir suas ideias com os elementos que mais usa, conforme os exemplos abaixo: 

  • montar uma biblioteca de timbres para compor música de orquestra
  • montar timbres padrões dos principais elementos de música eletrônica

Essa organização servirá como ponto de partida da sua ideia. E assim, você conseguirá criar propostas e soluções para desenvolver a sua ideia, antes que ela desapareça.

4. Mergulhe na narrativa

Uma criação musical para game não necessariamente precisa seguir um padrão ortodoxo. Mas é importantíssimo absorver fielmente o enredo, o contexto e a estética que está sendo desenvolvida. Essas assimilações são fundamentais, para começar a criar a música e imprimir essa experiência através dela.

Homem negro jogando videogame e rodeado por instrumentos musicais
Viva experiências sensoriais com a narrativa (Foto/Pexels)

Uma dica para ajudar a captar esse “feeling” é pesquisa sobre a temática ou sobre a estética do jogo. Por exemplo: um game pode ter uma temática futurista, o que imediatamente nos remete aos sintetizadores e elementos de música eletrônica; mas aposta numa estética “Steampunk”, o que faz menção à revolução industrial. Nesse contexto, pode ser interessante pensar em instrumentos percussivos que lembram engrenagens e engenhocas, no melhor estilo “Inspetor Bugiganga”.

5. Busque conhecimento

Procure sempre dominar as ferramentas que estão bombando no momento. Conheça bem as plataformas de desenvolvimento dos games, para entender suas limitações e possibilidades. Além disso, se possível, obtenha algum conhecimento básico de desenvolvimento de games, ou de produção audiovisual. Assim você terá uma espécie de “cosmovisão” do universo multimídia que está inserido naquela linha de trabalho que escolheu.

Esse repertório de conhecimento vai melhorar sua produtividade, evitando muito retrabalho, por conhecer as limitações daquela plataforma de desenvolvimento. Fique atento para tudo o que está rolando no mercado. Não somente nos games, mas também no audiovisual em geral e na tecnologia. Se atualize, pra não perder o bonde. Afinal de contas, conhecimento nunca é demais.

6. Seja autêntico

Por fim, mas não menos importante: tenha autenticidade. Pesquise, se inspire, mas jamais copie. Desenvolva sua identidade como criador. Buscar referências não é copiar, é agregar linguagem musical no seu repertório sem perder sua identidade. Cuidado com o plágio.

Mais dicas para melhorar processos de composição

E para encerrar esse nosso papo sobre composição de trilhas, tenho mais uns conteúdos que podem te ajudar a melhorar seus processos. Se liga na listinha abaixo:

Agora que você chegou até aqui, que tal dar um help para espalharmos a palavra? É bem simples: basta curtir e compartilhar o link deste post, sempre marcando seus amigos músicos, compositores e desenvolvedores de jogos.