Se você faz um trabalho autoral, os seus instintos artísticos te levarão a querer divulgar suas músicas pro mundão. Mas como em qualquer fundamento da carreira, um lançamento requer doses de planejamento.

Seu disco não pode ser mais um servindo abandonado nas mesas das rádios e gravadoras (Foto/Pexels)

Como não queremos que seu som caia nas armadilhas das flopagens, listamos aqui neste post algumas dicas para te ajudar a direcionar os seus lançamentos.

Single 

Quem não fica empolgado quando compõe uma canção? Entendemos a sua vontade de mostrar pros quatro cantos do mundo a sua arte. Mas antes de impulsionar o lançamento de um single nas plataformas digitais, você precisa fazer sua carreira acontecer no mundo offline.

Num primeiro momento, o ideal é você experimentar a música. Faça testes em alguns shows, mostre a canção para seus familiares e amigos, e observe a reação do público. Mantenha a mente aberta para filtrar críticas e, na medida do possível, promova as lapidações que considerar necessárias. Quando sentir confiança suficiente, aí sim pense em promover o lançamento da faixa.

Teste bastante as suas músicas ao vivo (Foto/Pexels)

Nota mental: invista em posts patrocinados, envie releases para veículos especializados e faça a canção chegar nos players e ouvidos corretos.

EP

O EP pode ser entendido como um conjunto de singles. Desta forma, o procedimento é bem parecido com o lançamento dos singles. Logo, você precisa ter um número X de canções afiadas e com real potencial para bombar nas playlists, tocar nas rádios especializadas e, consequentemente, fazer a cabeça do público nos shows.

Álbum

É o sonho de todo artista, não? Gravar, lançar um disco completo, isto é, com mais músicas do que comporta um EP, e engatar uma turnê! Conquistar milhares de plays no Palco MP3, bombar nas demais plataformas digitais e, se possível, ter uma banquinha vendendo o o álbum físico nos shows. E o principal: saber que a galera canta junto a maioria das músicas.

Lembre-se que o amadorismo é um péssima forma para apresentar seu disco (Foto/Pexels)

O cenário descrito acima é, na pior das hipóteses, ideal. Porém, não se começa uma casa pelo teto. Desta forma, lembre-se que antes de partir pro álbum, você precisa ter rodagem e estrada. O seu trabalho artístico precisa ter chegado aos ouvidos e olhos de um público cativo, ou seja, é preciso ter uma base sólida de fãs que vão realmente consumir o seu trabalho. De que adianta investir uma baita grana num disco que ninguém vai ouvir? Por isso, sonhe com os pés no chão, ajunte uma verba, acumule experiência de shows e só então parta pro álbum completo.

Vídeo

O vídeo é o cartão de visita ideal para sua banda, sobretudo em tempos de YouTube. Por isso, você precisa ter em mente que amadorismo não é sinônimo de qualidade. Ou você realmente acredita que algum contratante sério vai querer pagar de “fada madrinha” e fechar um show depois de ver um vídeo tosco?

Com um bom smartphone e muita criatividade, você faz vídeos tops (Foto/Pexels)

Para fazer um clipe bacana, você não precisa gastar tanta grana assim! Basta pensar em um conceito para a obra [sobretudo, observar se a ideia do roteiro combina com a letra da música], ter acesso a bons equipamentos [um smartphone top é capaz de fazer maravilhas] e descolar um editor de vídeo [se você não conseguir se virar com os tutoriais disponíveis na web, contrate alguém para cuidar da edição]. Lembre-se que cenas de shows sempre rendem vídeos de bom gosto e mostram a força de sua banda ao vivo.

P.S.:

Já que o papo aqui envolve assuntos de carreira, nós temos algo mais para te ajudar! Confira os links abaixo e não se arrependerá!