A novíssima música brasileira é um oceano de talentos, independente de estilos. Aqui no Palco MP3, felizmente, todos os dias a gente comemora o surgimento e o fortalecimento de trabalhos maravilhosamente arquitetados. Por isso, cá estamos para  te brindar com o som de 3 artistas que precisam ficar no radar de qualquer fã de música.

1. Tom de Amô – Folk boas vibes

Tom de Amô e seu folk pop contagiante

Dupla faz som requintado (Divulgação)

Formado pelas irmãs Natoya e Neklin Wanchutz, o duo Tom de Amô existe há quase três anos. Nascidas em uma família musical, as artistas têm como referência o trabalho de grandes mestres da MPB.

O trabalho da dupla se destaca pelas composições melodiosas e bem harmonizadas. Por suas vezes, as letras dialogam com os corações que apreciam a serenidade do folk boas vibes. Em dezembro de 2018, Tom de Amô brindou a novíssima música brasileira com o single “Meses e Anos”.

2. Nitronica – orgulho do rock independente

Banda Nitronica e seu rock vigoroso

Rock pra quem gosta de rock (Foto/Renata Reis)

Formada por Kadu Sasso (voz/guitarra), Mia Ramos (voz/baixo), Fernando Tinajero (voz/guitarra) e Samuka Away (batera), a Nitronica é um ícone do rock independente que vem de São Paulo. Na estrada desde 2008, o quarteto tem na bagagem clipes, um EP e até single lançado no mercado gringo.

Apostando em um som vigoroso e visceral, a banda trilha o caminho da cena autoral de forma consciente e bem arquitetada. Um dos destaques é o single “Corações Partidos”.

3. Samara Trajano – força sertaneja

Samara Trajano ao vivoNatural de Montes Claros (MG), Samara Trajano tem 29 anos e é musicista de ouvido absoluto. Com quase 15 anos de carreira, sempre de forma independente, essa mineirinha coloca seu violão e seu talento raro em defesa da música sertaneja.

Em 2019, Samara lançou o seu tão sonhado DVD ao vivo. Ao longo de 10 músicas, a voz grave e levemente rouca da artista destila romantismo, sofrência e paixão. Entre os destaques estão as músicas “Mês Que Vem Meu Coração Desencana” e “Tortura Demais”.