Desde os primórdios até hoje em dia, as mulheres sempre fizeram uma baita diferença na música brasileira popular. Lá nos anos 50, por exemplo, Nora Ney foi expoente de um novo estilo musical que estava começando a despontar… Sabe do que tô falando, né? Sim, desse tal de roque enrow, como cravou a não menos importante Rita Lee.

Esse protagonismo feminino não para por aí. No sertanejo, por exemplo, no final da década de 1940, as Irmãs Galvão abriram a porteira para que a mulherada mostrasse o seu ponto de vista acerca dos assuntos relacionados ao campo. Depois delas, várias outras artistas ajudaram a pavimentar a estrada do que estilo percorreu entre a reuniões na roça e os meios de comunicação de massa da selva de pedras que é a cidade grande.

Fabi Metzker, cantora mineira

A mineira Fabi Metzker é destaque entre as cantoras da nova geração (Divulgação)

E o que dizer de talentos do naipe de Gal, Bethânia, Sandra de Sá, Ana Carolina, Marisa Monte, Luiza Possi, Vanessa da Mata, Luciana Melo, Alcione, Dona Ivone Lara, Marília Mendonça, Fafá de Belém, IZA, Roberta Miranda, Pitty, Anavitória, Roberta Campos, Cássia Eller e várias outras? Na dúvida, pense em duas palavrinhas: “ícones” ou “divas”.

Já deu pra entender a dimensão do papel feminino nesse rolê todo, procede? Eu poderia passar uma boa parte da vida só citando cantoras que são patrimônios imateriais da nossa cultura 😉

Como você sabe, o Palco MP3 é um espaço democrático. Por aqui, a missão é espalhar a novíssima música brasileira. Consequentemente, o palco também é delas 🎶 Por essas e outras, a nossa conversa de hoje celebra o talento de alguns dos novos talentos femininos que andam movimentando a cena autoral e independente.

Prepare os seus fones de ouvido, se ajeite por aí e aproveite o seu garimpo musical.

Kissa

A cantora Kissa é expoente do novo pop brasileiro

Kissa (Divulgação)

Inquieta por natureza, como todo artista inovador precisa ser, Kissa é cantora, compositora e influencer. Trata-se de uma artista que é, simplesmente, apontada como uma das herdeiras artísticas de Rita Lee.

Essa artista tão multifacetada lançou, em outubro passado, o EP Estrela Roxy. O som é pop, com pouca guitarra, mas cheio de batidas pulsantes e feitas sob medida para bombar nas pistas. Outro ponto alto é a pessoalidade presente nas letras, fato este que faz com que qualquer ouvinte se identifique com as canções.

Bia Doxum

Bia Doxum é a alma negra da novíssima música brasileira

Bia Doxum (Foto/Facebook/@labgrafia)

Cria da zona Leste da cidade de São Paulo, Bia Doxum é uma cantora e compositora que transita pelo universo da música negra, indo do hip-hop ao ijexá, do samba ao soul. Dona de uma presença artística exuberante, sua proposta musical é unir o jovem ao ancestral, abrangendo temas como intolerância religiosa, ancestralidade e a força da mulher negra no cenário urbano contemporâneo

Essa mezzo-soprano tão talentosa já lançou o EP Boletim de Omissão, o disco Máquina Que Gira e vários singles. Sempre influenciada pelo movimento hip-hop e pela literatura periférica que se prolifera nos saraus das periferias de São Paulo, Bia é a voz das lutas que formam as causas feministas, raciais e juvenis.

Clara Valverde

Clara Valverde é uma artista polivalente

Clara Valverde (Foto/Divulgação)

Eis uma das artistas mais polivalentes da novíssima música brasileira. Com bastante maestria, Clara Valverde canta pop, samba, mpb e até reggae.

Tanto tempero sonoro em nada confunde a personalidade artística de Clara. Parte dessa coerência se dá porque ela é do tipo de artista que sabe enxergar a carreira de forma empreendedora, isto é, estamos lidando com uma artista que conhece os caminhos para imprimir uma identidade musical em suas produções.

O primeiro single foi Baby, Essa Não é Pra Você. Depois vieram canções como Somos Dois, A Gente Faz e Samba do Moço Bonito. Atualmente, a artista trabalha no single Incendeia.

Fabi Metzker

Fabi Metzker é uma das gratas surpresas da música mineira

Fabi Metzker (Foto/Divulgação)

Mineira de Belo Horizonte, Fabi Metzker é uma cantora e compositora que faz do palco o seu habitat natural. Em cena, ela entrega performances que fazem a conexão entre música e alma.

No que diz respeito à sonoridade, Fabi segue a linha do equilíbrio. Com destreza de Ayrton Senna, ela consegue conduzir um tipo de músicas que preserva raízes, mas não tira os pés das inovações do presente. Consequentemente, o futuro artístico dela não é nada duvidoso.

Se você curte jazz, soul, rock e funk, o Palco MP3 de Fabi Metzker é o lugar ideal para seus ouvidos. Se ligue na sofisticação da faixa Call Me e perceba a seriedade do trabalho dela.

Sarah Susan

Sarah Susan , expoente da música independente

Sarah Susan (Divulgação)

Compositora e intérprete Sarah Susan é expoente da nova safra da cena independente. Com sete faixas autorais, o álbum aposta no peso dos graves como base para as melodias indie/mpb dos vocais. Para emoldurar esse som tão ímpar, Sarah usa doses de psicodelia.

Em outubro de 2019, a artista lançou o seu primeiro EP, Olha o que Eu Sei Fazer. São sete faixas autorais que refletem sobre os dramas, anseios e realidades de uma juventude que vive esmagada pelos contrastes evangelizados pelos avanços tecnológicos.

Por fim, mas não menos importante: e nas boas vibrações desse tanto de música ótima, vou ficando por aqui. Ah, amigo leitor, não se esqueça de compartilhar o link deste post por aí. Com seu help, os novos talentos da novíssima música brasileira irão ecoar cada vez em alto e bom som 😉