Você é artista, produziu sua canção e agora quer submetê-la às plataformas digitais e torná-la pronta para execução pública? Primeiramente, é preciso entender que, assim como nós, ela deve ter uma identidade, algo que a torne única e reconhecível, chamada de ISRC

Mas, se você ainda não sabe o que é ISRC e como obtê-lo, deve entender primeiro os conceitos de fonograma, distribuição de direitos e ECAD. Soa um pouco confuso, não é? Então, vem com a gente desvendar essas nomenclaturas e aprender etapas importantes para sua carreira.

Bora entender mais?

Os processos de cadastro da sua música

Antes de saber o que é ISRC e prosseguir com o cadastro da sua obra, é preciso entender conceitos importantes da indústria da música. Então, já anota para não esquecer!

1 – Obra

Primeiramente, a obra é tudo aquilo que contenham letra e melodia, ou apenas melodia. Nesse sentido, a obra é tudo aquilo que tem composição musical e pode ser interpretado de várias formas. 

Assim, uma mesma obra pode ser gravada por artistas diferentes e em versões diferentes, como acústica, ao vivo, em estúdio ou até mesmo eletrônico. Quer um exemplo de obra interpretada de diferentes maneiras? Saca só:

2 – Fonograma

Agora, uma vez a obra produzida, ela deve ser gravada para que possa chegar até o público de maneira legal. Nesse sentido, após a gravação, ela se torna um fonograma e se torna presente em materiais, como os CDs e agora as plataformas de streaming.

Ou seja, quando todas as obras são gravadas, independente de quantas vezes ou por qual artista, elas se tornam fonogramas únicos. Por exemplo: para cada uma das versões que você viu acima, existem fonogramas diferentes, embora se tratem da mesma letra. 

Resumindo, a obra é cadastrada apenas uma vez, pois, melodia e letra permanecem. Agora, a partir do momento que essa obra for gravada, sendo versão ou não, se torna um novo fonograma

3 – Hora dos cadastros!

Agora que você já aprendeu a diferença entre obra e fonograma, é preciso saber que eles têm de ser cadastrados, para garantir sua legalidade e recebimentos. Nesse sentido, para cadastrar obras há duas diferentes maneiras: declarando seu repertório ou por meio de uma editora

Assim, quando você declara o seu repertório como autor, é preciso preencher formulários e acertar os percentuais de pagamento caso haja colaborações. Agora, se bater insegurança nesse processo, as editoras musicais são uma opção. Pois, são elas que administram suas obras e realizam o seu cadastro direto em associações de música, como a Abramus ou UBC.  

Já o cadastro de fonogramas deve ser feito por quem o produziu, em geral, o Produtor Fonográfico. Nesse sentido, ele é quem viabilizou economicamente a gravação, sendo você mesmo, sua gravadora ou outras pessoas delegadas a essa função. Só a partir desse cadastro os intérpretes, produtores e músicos presentes na gravação poderão receber seus percentuais. 

Mas, Palco, onde o ISRC entra nessa história? Quando o fonograma é cadastrado, ele ganha o seu ISRC, uma espécie de identidade internacional, sendo fixo e não reutilizável. Vamos entender mais sobre ele?

Afinal, o que é ISRC?

Antes de tudo, ISRC significa International Standard Recording Code, ou Código de Gravação Padrão Internacional. Agora que você sabe o que é ISRC e que ele é um código de reconhecimento internacional, deve entender do que ele é composto. 

Bem como nosso RG ou CPF, ele tem números referentes ao ano de registro, código do país, código do registrante e rastreamento. Para visualizar melhor, ele é dividido dessa maneira:

O ISRC é composto pelo código do país, ano de registro, código do registrante e código para rastreamento
Veja como é composto cada ISRC (Imagem/Reprodução)

Dessa maneira, com o ISRC é possível dividir os ganhos de todos os envolvidos e garantir seus direitos. Além disso, é por meio dele que o ECAD identifica sua canção e redireciona seus direitos autorais, para que eles cheguem até você. Agora, o Palco MP3 também tem parceria com o ECAD e você pode entender mais sobre isso aqui.

Para gerar o seu ISRC é necessário:

  • Decidir qual o modelo de cadastro adotado (independente ou por associação, como Abramus ou UBC);
  • Verificar se o produtor fonográfico tem registro como produtor e está filiado como tal;
  • Atentar-se ao fato de que, se o seu produtor fonográfico for uma gravadora, ela também detém direitos autorais, sendo cerca de 41%;
  • Ter um arquivo de sua música em boa qualidade no formato “.wav”. 

Assim, a partir do momento que o ISRC for gerado, você poderá encaminhar sua música para as agregadoras ou plataformas digitais, para para execução. E é por isso que ele é tão importante! Nesse momento, você deve não só informar o código do ISRC gerado, mas um bom pitch para que ela seja aceita.

Dê os próximos passos na sua carreira com o Palco MP3!

Agora que você já sabe o que é ISRC e sua importância, deve planejar também os próximos passos da sua carreira, como divulgação e estratégias de marketing

Logo, o ideal é fazer o seu cadastro de artista em nossa plataforma, aprender com nossas Dicas de Carreira e acompanhar as novidades. Assim, você ganha confiança para dar mais passos em direção ao sucesso.

Conta para a gente: qual a sua dúvida sobre as etapas de formalização da música? Você teve dificuldade em algum processo?

Nos vemos na próxima. Até lá!