Formada por Rike (voz)Marcola (bateria)Caio (guitarra) e Mizão (baixo), abanda NDK acaba de lançar seu novo EP, Impermanência. O registro é o quarto trabalho que quarteto lança em 12 anos de carreira. 🎙️ 🎸

EP propõe despertar coletivo (Imagem/Divulgação)

Ao longo das cinco músicas, o EP apresenta letras reflexivas e existenciais. Propondo a questão do “despertar coletivo”, a banda aposta em canções que traduzem o lance de ser “eterno agora, em constante mutação”. Logo na primeira faixa, a pulsante O Necessário, os caras discorrem sobre o interesse em viver longe do retrocesso que é uma vida guiada pelas questões materiais. 💸 🎶

Na sequência, a faixa título chega para revelar que “a impermanência está estritamente ligada à variação do mundo. Causas e condições mudando, o ir e vir acontecendo e o novo chegando”. 🥁 🤘 No refrão de Quando eu Fecho os Olhos, o vocalista Rike entoa o par de versos “Desfazendo o ego/Eu me sinto inteiro” e entrega um ótimo conselho para os monstros mimados que as redes sociais proliferam com a velocidade de propagação dos temíveis gremlins. Ponto pra NDK!

Quarteto mostra letras maduras em novo EP (Foto/Divulgação)

No que diz respeito à sonoridade, o trabalho mostra que a NDK domina a grande virtude de soar moderna e ao mesmo tempo reverenciar as influências que as décadas passadas sempre vão depositar no rock. Sob a batuta dos produtores Tomás MagnoPaulo Vaz (Supercombo), Raul Alaune e Rodrigo CastanhoImpermanência deixa claro que mentes diferentes produzem os melhores resultados. O EP não perde o embalo em momento algum! O segredo? Bem simples: basta todos estarem na mesma sintonia energética. Palmas para eles! 👏 👏