Com seus respeitáveis 35 anos de carreira, a dupla Chrystian e Ralf é uma das mais afinadas da música brasileira popular. Caso relativamente raro no sertanejo, o duo goiano é um dos poucos que possui em sua formação dois intérpretes que reúnem as mesmas condições vocais de ser a “primeira”, ou seja, o cantor responsável pela primeira voz.

Chrystian e Ralf são intérpretes bem acima da média (Foto/Divulgação)

Outro ponto notável da carreira de C&R é a capacidade visionária de promover inovações. Entre outras façanhas, eles foram pioneiros em promover o diálogo do sertanejo brasileiro com ritmos norte-americanos, como o country, o folk e o pop rock.  Voltando até o ano de 1991, lembramos que com a gravação da música “Yolanda”, cuja letra em português é assinada por Chico Buarque, os irmãos fizeram a conexão entre a música sertaneja e o restrito mundo dos gurus da MPB. Ainda nos anos 90, a dupla trouxe para o sertanejão o requinte dos discos em formato “desplugado”.

Dupla nunca teve medo de inovar (Foto/Divulgação)

Em 2013, Chrystian e Ralf deram início ao interessante projeto “Pocket Show”. A iniciativa é um agrupamento de EPs que apresentam a dupla em seu formato intimista. Entre músicas inéditas e regravações de grandes sucessos, a série acaba de chegar ao “Volume IV”. Resgatando quatro hits da longeva carreira da dupla, o EP é uma verdadeira aula de produção e execução musical.

Série chega ao seu quarto volume (Imagem/Divulgação)

A primeira faixa é o clássico “Perdoa”, originalmente lançada no disco “Chrystian e Ralf Vol. 8”, de 1991. Fruto de uma parceria entre José Augusto e Paulo Sérgio Valle, a música é uma das mais belas formas de se expressar a questão do arrependimento. Em sua nova roupagem, a canção é um show de interpretação da dupla. O arranjo mais dramático proporciona o cenário perfeito para que os cantores mostrarem a força de seus respectivos timbres, bem como suas respectivas habilidades vocais.

Na sequência, o EP resgata duas músicas do disco “Prazer por Prazer”, de 1995. As escolhas de “Em Busca de Mim” e “Nunca Mais Vou Te Enganar” não poderiam ter sido mais perfeitas. São duas canções que revelam a versatilidade da dupla. A primeira faixa é emoldurada por um tipo de arranjo de guitarras que está quase extinto nos trabalhos das bandas do mainstream do rock nacional. Por sua vez, a segunda canção resgata, mas sem perder traços de modernidade musical, um pouco da sutileza do sertanejo mais tradicional.

Bom gosto sempre foi marca registrada da dupla (Foto/Divulgação)

Voltando às guitarras, a música “Últimas Fronteiras” encerra o EP com chave de ouro. Destaque do disco “Chrystian e Ralf Vol. 10”, de 1993, a faixa retorna mais encorpada, madura e bem temperada. Com muito bom gosto, a canção aposta em um arranjo de guitarra que facilmente caberia em algum hit do Journey ou, até mesmo, do Bon Jovi.

Por fim, mas não menos importante: na maioria dos casos, os artistas notáveis possuem públicos exigentes. Por isso, regravar próprios hits é tão complexo quanto a “síndrome do primeiro disco”. Porém, com o novo EP, Chrystian e Ralf dão amostras de que é possível resistir ao teste do tempo. “Pocket Show IV” apresenta quatro provas irrefutáveis que é não há nada melhor do que ouvir o trabalho de um artista capaz de construir um repertório que jamais soará datado.