Em algum momento, na cidade de Porto Alegre, um alinhamento perfeito dos atros determinou o encontro dos músicos Danúbio (voz/violão), Brayan (guitarra), André Medeiros (baixo) e Milhoranza (bateria). Trabalhando em conjunto, o quarteto forma a banda Monema. Em sua identidade musical, o grupo apresenta traços de pop rock nacional dos 80, ecos da MPB dos anos 70 e do indie rock do final dos anos 90.

Esse caldeirão temperado por três décadas de ótimas referências musicais acaba de lançar Plano de Fuga e Outros Planos, seu álbum de estreia. Contando com 10 faixas autorais, o disco apresenta canções que falam sobre relações humanas, temas sublimes e toca na intersecção entre o real e o imaginário.

Monema estreia em disco

Clique na imagem e baixa o disco da Monema (Divulgação)

Com cara de single, Por Acasos é aquele tipo de canção que começa com uma batida hipnótica, passa por um momento de melancolia, atravessa uma ponte harmônica sedutora e chega num clímax 100% alto astral. E por falar em single, a primeira música escolhida para trabalhar o disco foi a faixa Cético. Lançada em meados de 2018, essa canção pode ser entendida como “a sofrência sob a ótica de Cazuza”.

Na faixa Se Eu tentar de ProcurarDanúbio canta sobre a complexa missão de ter que lidar com um relacionamento que não tem mais motivos para existir. No que diz respeito ao arranjo, essa canção é um exemplo de como misturar Coldplay com Clube da Esquina, ou seja, temos uma aula de como viver o presente, mas sem desrespeitar o passado. Antes dela a sutileza de Plano de Voo resgata o espírito folk. Em tempos mais concretos e menos românticos, um artista precisa ter muita segurança para lançar uma música no formato “voz e violão”. Ponto para os caras da Monema, que não se intimidaram diante da voracidade do terceiro mundo digital.

Banda Monema estreia em disco em grande estilo

Quarteto faz um som sereno, cativante e convidativo (Foto/Divulgação)

Sabe quando você ouve um disco e, de repente, a banda te surpreende com uma faixa totalmente fora da zona de conforto, sobretudo quando se trata de pop rock? Então… Essa maravilhosa sensação é o acontece quando se escuta a música A Jornada do Herói, uma onda meio jazz, meio bossa nova e até um pouco rock and roll. Já em Olhando Pra Lua, a pegada country pop toma conta do ambiente e entrega ao público uma excelente reflexão sobre a convivência saudável e de aprendizado que deve rolar entre as partes que formam um casal.

Outro momento interessante da obra é a música Grilos. Apostando na temática existencialista, a letra dessa música é emoldurada por um arranjo que faz a conexão “rapadura x chimarrão”, ou seja, a banda propõe uma mistura de ritmos nordestinos com o bom e velho pop rock da escola gaúcha. Com muito bom gosto, e sem pecar pelo exagero, o quarteto acertou a mão e registrou uma canção que tem lugar garantido no player de quem abre a mente para artistas que gostam de inovar.

Disco de estreia da Monema é um deleite para os ouvidos

A tranquilidade de uma banda que sabe que estreou em grande estilo (Foto/ Fernanda Chemale )

Por fim, mas não menos importante: geralmente, o disco de estreia de uma banda nasce sob o signo da exigência. Há toda uma cobrança sobre o tal do “peso” de se fazer uma obra-prima.

Porém, quando o trabalho é encarado com seriedade, leveza e consciência, o fardo da responsabilidade dá lugar a uma atmosfera de boas vibrações. E é exatamente essa serenidade que a Monema soube imprimir em seu álbum de estreia. Plano de Fuga e Outros Planos é um registro que cativa, por suas canções sutis; surpreende, por emoldurar as letras com arranjos imprevisíveis; e impressiona, justamente, por mostrar um direcionamento artístico que merece ser seguido.

Ah, e de quebra, o disco também colabora para que o pop rock gaúcho se mantenha na prateleira de cima da novíssima música brasileira. Vou ali reouvir o disco e já volto…