Ele é pernambucano, tem 15 anos de idade e não sente o peso de ser uma das feras do “batidão romântico”, o contagiante estilo de música que mescla elementos de brega, arroxa e forró eletrônico. Estamos falando de Ruanzinho, o rapaz de sorriso encantador e olhar humilde.

Como num passe de mágica, em 2018, o talento de Ruanzinho despontou no Nordeste do país. A música responsável por trazer os holofotes para o trabalho dele foi a faixa “Sou Favela”, uma canção que foi tocada por Wesley Safadão, Calcinha Preta, Saia Rodada, Jonas Esticado e Pedrinho Pegação.

Artista manda um papo real sobre romance entre pessoas de diferentes classes sociais (Imagem/Divulgação)

Apesar de caminhar pelo viés da música romântica, Ruanzinho não deixa de debater a questão da desigualdade social. Na letra de seu single, ele conta a história de um garoto da favela que se apaixona por uma menina da zona sul. Na narrativa, o pai dela é contra o relacionamento, mas o “Neguim do Barraquim” manda a real para sua “Cinderela” no refrão do single:

“Fala pro teu pai que eu não quero dinheiro/Eu já tenho uma riqueza que é você/Se quiser casar eu caso/Vamos brincar de amar somente eu e você”

Ainda em começo de carreira, Ruanzinho ganha pontos por apostar na simplicidade. A música dele possui uma linguagem simples, direta e leve. O discurso não é ofensivo, passa longe de ser pejorativo e faz uma conexão entre a sutileza e o senso  realista. Do lado de cá, todos nós temos o dever de torcer pelo surgimento de mais artistas assim na novíssima música brasileira!