Chegou a hora de você conhecer os novos da nossa seleção Groover outubro. Isso mesmo, prepare-se para atualizar suas playlists nas plataformas digitais com novidades fresquinhas do mundo da música! Afinal, nós aqui do Palco estamos juntos com a Groover nesse rolê incrível que é trabalhar pela promoção da música independente! 

Então se liga que neste post você vai conferir 6 lançamentos incríveis de sons que vão fazer a sua cabeça.

Seleção Groover outubro: 6 novos artistas que merecem o seu play 

Antes de mais nada, se ainda não conhece a Groover, pode estar perdendo uma grande oportunidade. Isso porque essa plataforma faz nada menos que a ponte entre a sua produção independente e os veículos de mídia especializados. 

Dessa forma, você poderá ter excelentes feedbacks e cobertura de canais relevantes sobre seu trabalho. Já pensou que legal? Então, saiba mais sobre a parceria Palco MP3 e Groover e dê esse passo decisivo na promoção de sua música!

1. Mort Rose

Comecemos por uma banda com um trabalho bastante peculiar, o grupo canadense Mort Rose. Aliás, os caras acabaram de lançar seu disco cheio ‘‘Au Revoir Cowboys’’, nas plataformas digitais. 

A banda foi fundada em 2016, em Montreal, pelos amigos Alexandre Archambault, Christophe Charest-Latif, Julien Comptour e Mark Cool. De antemão, é preciso lembrar que, ao contrário da maioria das bandas desse estilo, os caras cantam em francês.

Caso você ainda não tenha ouvido falar neles, o som é uma mistura de folk, rock e psicodelia. Aliás, me lembrou bastante o Neil Young de ‘’Everybody knows is nowhere’’ e o primeiro do Pink Floyd com Syd Barrett. Sacou o clima? 

Eles são especialistas em recriar aquela sonoridade analógica e cheia de dinâmicas dos anos 60. Para isso, a banda explora instrumentações com sopros, sintetizadores vintage e guitarras carregadas de efeitos de ambiências e fuzz. Mas o fio condutor das canções, você verá, acaba mesmo sendo as linhas de violão folk e as harmonias vocais viajantes. 

Ficou curioso sobre a sonzera do Mort Rose? Então ouça o disco novo dessa galera na íntegra.

2. Maxyme

Promessas quebradas e relacionamentos tóxicos… Nós nunca teremos canções o suficiente sobre corações partidos, não é mesmo? Pelo menos é essa a aposta da cantora canadense Maxyme.

E ela parece estar mesmo pronta pra se tornar uma mega estrela do pop. Principalmente porque acaba de assinar com a KS Records, o mesmo selo que está por trás do sucesso do duo pop Kingdom Street ‘s.

O primeiro produto dessa parceria é o single ‘’Toxic Boy’’.  Afinal, melodias vocais doces e cativantes aliadas a beats eletrônicos hipnóticos e arranjos com synths são uma fórmula certeira pra se fazer um novo hit. E tem tudo isso no som da garota, confira!

3. Nimbo

Nimbo é uma grata surpresa. A banda pernambucana capitaneada pela dupla de compositores Daniel Vasconcelos e Ricardo Chacon lançou seu primeiro EP ainda em 2018. Com ótima recepção de público e crítica a banda tinha se destacado como grande promessa da nova cena indie rock recifense.

De lá pra cá, eles têm soltado clipes e singles de qualidade acima da média e, com isso, estão conquistando cada vez mais atenção do público nas plataformas digitais. 

De toda forma, é impressionante como o rock alternativo deles soa natural em língua portuguesa. E olha que poucos conseguem esse feito. Deve ser porque a banda traz no som referências gringas (Radiohead, por exemplo), mas também tem um pé no Clube da Esquina

E por falar em Radiohead, nos últimos singles que o Nimbo têm lançado você percebe logo de cara a influência da banda de Thom Yorke. Sobretudo nos timbres, os caras não economizam em efeitos de ambiências diferentonas e sons estranhos de sintetizadores. 

Dê um confere no lindíssimo clipe de ‘’Só’’, nova música de trabalho da banda.

4. Kevin Kadish

Se sua praia é um som menos cabeça e mais para os quadris, Kevin Kadish é o artista aqui pra você! O artista tem uma carreira de sucesso como compositor e produtor de longa data. Tanto que coescreveu e produziu mega hits como ‘’All about that bass’’, sucesso na voz da cantora Meghan Trainor, em 2014. 

Tanto essa música quanto colaborações que fez com nomes como Jason Mraz renderam-lhe alguns Grammys. Além disso, chegou a fazer turnês como artista solo na década de noventa. Nessas excursões, abriu grandes shows para grandes bandas como Jeff Beck Group e Dave Matthews Band.

Posteriormente, Kevin acabou absorvido pelos trabalhos em estúdio e deu prioridade à carreira de produtor. No entanto, depois de um longo hiato como artista solo, acaba de lançar o single ‘‘She Don’t Wanna Be Lonely’’, em parceria com Ben Burgess

A canção tem tudo pra se tornar o próximo grande hit da carreira de Kevin. Aqui, ele mescla elementos como beats eletrônicos e instrumentos acústicos, o resultado é um som com várias camadas que te pegam em cheio na primeira audição. Dê o play e confira!

5.Blanks

Blanks é um artista holandês que tem mostrado competência para compor canções chiclete no estilo indie-pop. Estamos falando de um grande geniozinho da nova geração, tendo em vista que ele gravou a maioria dos instrumentos e também tem produzido seus próprios trabalhos.

A bola da vez é o álbum ‘‘Nothing Lasts Forever and That ‘s Ok” que chega às plataformas digitais no dia 29 de outubro. Antes do grande lançamento do álbum cheio, Blanks teve a sagacidade de ir lançando singles e videoclipes do disco aos poucos, mas com um fio narrativo conectando cada peça.

O universo conceitual dessas canções é o mundo dos adolescentes de hoje em dia. No entanto, suas letras versam sobre temas atemporais dentro desse conceito: relatam férias inesquecíveis, amores juvenis e perdas trágicas de pessoas próximas.

‘’Never Have I Ever’’, o último single e videoclipe postado, é uma parceria com o guitarrista e produtor musical Joonas Parkkonen. A música e o vídeo continuam a saga dos protagonistas Emma e Erik, cujas histórias são contadas no álbum. Além disso, no clipe Blanks mostra seu talento como ator, interpretando o personagem principal.

6. Encerrando a seleção Groover outubro: Peter Lake

E por falar em personagem e em singles de um disco conceitual, Peter Lake é outro artista que aposta nesses dois artifícios. Primeiramente, porque também lançou singles e vídeos com um fio narrativo que compreendiam as canções de seu EP de estréia, intitulado ‘’Red’’. 

Além disso, o próprio Lake apresenta-se como personagem, uma espécie de alter ego musical que o cara criou pra lançar suas músicas. 

‘’Whistle’’ é o terceiro single do disquinho. Aqui, Peter se inspirou no clássico ‘’(Sittin ‘On) The Dock of the Bay’’, de Otis Redding. A ideia é traduzir em uma estética contemporânea e eletrônica a visceralidade e o sentimento do blues. 

Esperamos que você tenha curtido os artistas da nossa seleção Groover outubro.  Do mesmo modo, caso queira descobrir mais artistas novos, preparamos também uma playlist exclusiva, a “Seleção Groover”, com várias revelações do cenário atual. Confira!