Os mineirinhos Felipe e Gabriel formaram a dupla em 2016. Atualmente com a idades nas casas dos 17 e 15 anos, respectivamente, eles representam uma injeção de juventude no cenário sertanejo independente.

Seguindo uma identidade própria, a dupla investe em um trabalho auroral. Gabriel é agraciado com um dom nato para compor músicas, e Filipe as interpreta com maestria. Há uma notória e inegável química musical entre ambos. Atuando em parceria, os jovens artistas conectam seus timbres e talentos de forma realmente bem feita.

Uma dupla jovem e talentosa (Imagem/Divulgação)

A “longa estrada  da vida” é realmente longa e cheias de curvas, mas os rapazes estão seguindo a trajetória de forma segura e, sobretudo, com a velocidade correta. Prova disso é o registro de estreia deles, o EP “Bota um Modão do Matão”. Lançado no começo de 2018, o material tem quatro faixas autorais e que apresentam uma jovem dupla entregando o melhor que pode oferecer.

Dupla estreou com pé direito (Divulgação)

Apostando no violão, na sanfona e na pegada mais acústica, as canções transitam entre o campo e as baladas. As letras estão de acordo com as demandas da geração de Felipe e Gabriel e transbordam, com certo tom pueril, os sentimentalismos e romances naturais da juventude. No quesito interpretação, os artistas transmitem garra e impressionam pela inteligência de não pecarem pelo exagero.

Todos sabemos que o cenário artístico é cheio de ciclos, armadilhas, tendências e fases. Porém, se mantiver o foco, a dupla Felipe e Gabriel é do tipo que ouviremos e veremos por longos e longos anos.