A cidade de Florianópolis é berço da Tum Cult, startup que busca potencializar os negócios e o empreendedorismo na cultura. O objetivo é transformar ideias em projetos inovadores, estimular parcerias, gerar negócios que ampliem o ecossistema criativo e agregar valor à vida das pessoas, promovendo experiências incríveis.

Só em janeiro de 2020 a Tum Cult impactou um público de quase sete mil pessoas com os shows do violonista Yamandu Costa, na Lagoa da Conceição, e da cantora Mart’nália, no Floripa Airport. Entre as ações previstas para os próximos meses, está um portal online de economia criativa, que pretende levar conteúdo, música, dança, moda, design, games e aproximar consumidores engajados na cultura empreendedora. Com essa ideia a empresa foi aprovada no edital Cocreation Lab ACI (Associação Catarinense de Imprensa) para compor o time de projetos inovadores.

Cantora Mart’nália, ícone da MPB

Tum Cult promoveu show da Mart’nália (Foto/Instagram)

A empresa agora tem uma nova sede, onde fica o primeiro hub de música, arte e cultura de Florianópolis. Além de ser o coração da Tum Cult, o local possui infraestrutura e base tecnológica necessária para o desenvolvimento de projetos e está situada no bairro João Paulo, na capital. A proposta é integrar saberes em um universo multicultural ocupado pela produtora, coworking de economia criativa, estúdio de produção musical, estúdio fotográfico, quartos temáticos para residência artística, atividades de capacitação, palestras, workshops e eventos culturais.

Equipe e parceiros da TUM Cult posam na sede da startup

Equipe, parceiros e agitadores culturais da Tum Cult (Foto/Jorge Scherer)

Tum Cult – 10 promovendo cultura

A Tum Cult está de nome e cara nova, mas a empresa possui uma longa trajetória na cena cultural do Estado. Com 10 anos de atuação como É Show Produtora, promoveu grandes eventos com artistas nacionais como, João Bosco, Maria Rita, Ana Carolina, Alceu Valença, Ed Motta, Mart’nália, Diogo Nogueira, Thiaguinho, Hamilton de Holanda, Yamandu Costa, entre outros. Além disso, movimenta Florianópolis com a realização anual do Tum Sound Festival, o mais importante festival de música, inovação e empreendedorismo do sul do Brasil.

Em 2019, a 3ª edição do evento reuniu cerca de 10 mil pessoas, teve 512 bandas inscritas para os showcases e 150 participantes para as Rodadas de Negócios em parceria com o SEBRAE. Esse resultado somado impulsionou uma mudança no modelo de negócios da empresa, e assim surgiu a startup.

Equipe TUM Cult

Tum Cult, uma galera que faz a mágica acontecer (Foto/Jorge Scherer)

Com mais de 20 anos de experiência em eventos e produções nacionais e internacionais a CEO da Tum Cult, Ivanna Tolotti, conta que a empresa precisou crescer e evoluir junto com o mercado:

“Nesse mundão globalizado é preciso saber se reinventar. Foram anos de elaboração e pesquisa, em inúmeras feiras e festivais do Brasil e do exterior, bem como o contato com grandes players do mercado mundial, somado a localização da nossa sede matriz em Florianópolis que nos inspira muito, nos motiva e faz com que possamos dar esse passo tão importante ao mundo da inovação, diz”

Ela também explica que a causa da Tum Cult “consiste em contribuir para o mapeamento e o empreendedorismo do ecossistema cultural. O Brasil é um dos maiores mercados de música do mundo, é uma grande indústria, e é isso que vamos mostrar: a riqueza e o poder das mentes e da economia criativa”.

Florianópolis e a economia criativa

Florianópolis é uma das cidades que mais impulsionam o ambiente da economia criativa e inovação por meio da tecnologia. O setor representa 5,8% do Produto Interno Bruto (PIB) de Santa Catarina, com um faturamento de R$ 15,8 bilhões, segundo a Associação Catarinense de Tecnologia (Acate). Já em âmbito nacional, a economia criativa é responsável por 2,64% do PIB, o equivalente a R$ 155,6 bilhões ao ano, conforme dados do Mapeamento da Indústria Criativa da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).