Hoje o Blog do Palco vai falar sobre a nova música brega que é feita no norte e nordeste do país, com bastante mistura e influência de outros gêneros.

Como você já deve saber, o brega é um gênero muito forte em estados como Pernambuco e Pará, onde está a “raiz” do movimento.

Quem mora nas outras regiões do país acaba conhecendo mais o estilo através de alguns artistas que bebem dessa influência e transformam o brega em música pop.

É o caso de Pabllo Vittar, que está estouradíssima em todo o país, e bebe diretamente da fonte do brega recifense. O hit K.O, por exemplo, tem uma levada brega misturada com o axé da bahia – tudo de um jeito muito pop!

Mas você sabe de onde surgiu a música brega?

História

A música brega se divide em três fases, desde o super romantismo nas décadas de 70 e 80 até chegar ao som moderno que move as baladas e as aparelhagens.

Se formos pegar a origem do brega, precisamos voltar aos anos 30, com Vicente Celestino – reza a lenda que o carioca é o primeiro artista a fazer música brega. A faixa Coração Materno chegou a ser gravada por Caetano Veloso e é considerada um dos primeiros exemplos musicais do brega.

Mas não tem jeito, o brega ganhou forças no nordeste e no norte do Brasil- é a partir de artistas dessas regiões que o gênero representa e se espalha para o restante do país.

Nos anos 70, todo o romantismo da jovem guarda foi elevado ao extremo por artistas nordestinos como Waldick Soriano e Reginaldo Rossi, com sua banda The Silver Jet. Esses últimos faziam uma mistura de iê-iê-iê com letras bastante românticas, que seriam o pilar da música brega:

Do Recife a Belém: o brega repaginado

A importância do brega para Pernambuco é tão grande que o estilo ganhou status de patrimônio cultural por lá neste ano. O estado oficializou o “Dia do Brega”, que é comemorado no dia 14 de fevereiro, mesma data do nascimento de Reginaldo Rossi e também do Valentine’s Day – por acaso ou não, o dia mais romântico do mundo.

O gênero é tão forte por lá que deu origem a um movimento musical totalmente independente da indústria fonográfica ou do jabá das rádios, já que os artistas distribuem suas músicas gratuitamente. Os ícones do brega ficam populares nas festas regionais, como as aparelhagens de Belém.

O brega no Palco

Sem modéstia nenhuma, o Palco MP3 é a plataforma que representa a música brega no país. Garimpando no site, é possível encontrar diversos artistas que se dedicam ao estilo, dos mais variados locais e das mais variadas formas!

O artista mais acessado de brega no Palco MP3 é a banda Musa, que nasceu como Musa do Calypso. O grupo surgiu no início dos anos 2000 e hoje é considerado um dos pioneiros do novo brega pernambucano.

A banda Musa abriu portas para outras bandas com estilo parecido, e que também têm mulheres no comando do vocal.

Um exemplo é a banda Sedutora, que já é um sucesso no nosso Palco. Eles fizeram uma versão brega-recifense-maravilhosa de Despacito, chamada “Necessito”. E não estamos falando de cover não, a versão ficou super original, parece até que Despacito nasceu brega!

Escute essa e outras músicas da banda Sedutora no Palco MP3.

A Sedutora também é responsável pela incrível Bateu a Química, uma versão bem brasileira de Wrecking Ball, da Miley Cyrus.

Indo numa vertente diferente da mistura entre o brega e outros estilos, está o MC Troia do Recife. Como o nome já sugere, o MC mistura de maneira bastante original o brega recifense com pitadas do beat do funk. Troia está entre os 5 artistas mais acessados do Palco, na categoria música brega.

Vale conferir o som super original do cara! Já sabe onde, né?

E aproveite para conhecer os artistas que representam o brega no Palco MP3!