As vozes negras são autênticas e múltiplas, assim como as próprias pessoas. Contudo, é comum percebermos retratos únicos que insistem em colocar as vivências negras numa caixinha etiquetada. Pensando em potencializar essa multiplicidade cultural, o YouTube abre as inscrições para a segunda turma do #FundoVozesNegras de 2022.

Fundo Vozes Negras: o que é?

Com o objetivo de investir em projetos que mostrem a força intelectual e a autenticidade das vozes negras, o fundo teve início no ano passado. Além disso, a iniciativa tem caráter educativo sobre questões de justiça e de igualdade racial. Em 2020, a primeira turma foi formada por 21 artistas e 112 criadores de conteúdo. Porém, o YouTube aposta alto e se compromete em apoiar mais de 500 criadores, artistas, compositores e produtores nos próximos três anos.

Dos mais de 130 criadores negros envolvidos na iniciativa, 35 eram brasileiros! Na música, o Fundo Vozes Negras selecionou MC Carol e Rael para receberem financiamento e assim investir nos conteúdos e na estrutura de seus canais. Além deles, outros nomes que marcaram presença foram Rafaela Lima (Mais Ciências – Profa Rafaela Lima), Thelma Assis (Thelminha), Camila Nunes (Camila Nunes), PH Côrtes (PhCôrtes), Amanda Mendes (Tô de crespa), Maristela Rosa (Papo de Preta), Xan Ravelli (Soul Vaidosa), Tassio Santos (Herdeira da Beleza), Samuel Gomes (Guardei no Armário) e mais.

Participantes do Vozes Negras 2021
Galera da primeira turma do Vozes Negras (Imagem/Divulgação)

O que o Fundo Vozes Negras oferece para o meio musical?

A iniciativa de crescimento, voltada à promoção de artistas, compositores e produtores negros é feita pelo fundo de financiamentos plurianual. Dessa forma, uma verba inicial é destinada a esses profissionais para desenvolvimento de conteúdo, suporte dedicado e promoção de marketing do próprio canal.

Na edição anterior, a “Incubadora de Criadores do Youtube”, um evento de três semanas com participação dos 130 selecionados pelo Fundo e suas equipes, reuniu grandes profissionais da indústria. Os temas abordados iam desde aspectos técnicos, como pré-produção, iluminação e narrativa digital, até monetização alternativa, coaching de mídia e bem-estar.

Quem pode participar?

Pessoas negras que são artistas, compositoras ou produtoras com a carreira em desenvolvimento estão aptas a participar do Fundo Vozes Negras. Além disso, é necessário residir em um dos seguintes países: Austrália, África do Sul, Brasil, Canadá, Estados Unidos, Nigéria, Quênia e Reino Unido.

Para artistas que desejam se candidatar é preciso ter interesse em estabelecer uma estratégia de canal de longo prazo e ter lançamentos musicais programados entre o quarto trimestre de 2021 e o segundo trimestre de 2022.

Enquanto que compositores e produtores devem ter interesse em estabelecer uma estratégia de canal de longo prazo, contribuir para o lançamento de produções musicais entre o quarto trimestre de 2021 e o segundo trimestre de 2022, além de estarem abertos para parcerias com outros compositores e produtores que participam da iniciativa Vozes Negras para músicos.

Qual é o prazo e como participar do Fundo Vozes Negras?

O período de inscrições acontece entre 21 de junho e 9 de julho de 2021, até 15h59 (horário de Brasília). Assim, se você é criador de conteúdo, artista, compositor ou produtor deve se cadastrar pela própria página do YouTube Creators.

Participantes do Fundo Vozes Negras 2021
Fundo Vozes Negras é a chance que você esperava (Imagem/Divulgação)

Antes de tudo, cabe lembrar que o YouTube entende por artista a pessoa que lança, sobretudo, produções musicais comerciais como intérprete principal ou secundário. Já compositor/produtor refere-se à pessoa que contribui, sobretudo, para lançamentos comerciais de outros artistas. Os candidatos selecionados serão contatados por e-mail até outubro de 2021.

Curtiu a ideia e se identifica com a proposta do YouTube? Então, inscreva-se ainda hoje! Aproveite para compartilhar esse texto nas redes sociais e fazer essa iniciativa alcançar ainda mais pessoas.