Compor, gravar e divulgar é ótimo, ninguém duvida. Porém, o artista precisa ter sede de palco, pois, afinal, o show é uma ótima forma para se conhecer e entender uma carreia. Nada contra a galera mais reclusa, mas poucas experiências superam o prazer de uma boa apresentação ao vivo.

Mas o que é que um artista independente precisa fazer para descolar uns shows legais?

Bom…Não há fórmulas milagrosas para isso. Só que neste texto de hoje, nós vamos te dar três dicas para tentar dar uma melhorada aí na agenda de sua banda. Vamos nessa?

1. Seja profissional

Independente do tamanho de sua carreira, tenha um comportamento profissional. Não adianta ser talentoso, por exemplo, e não ter um release bem feito ou um press kit de responsa para apresentar aos contratantes. Lembre-se que o cara do pub da cidade vizinha não é, necessariamente, o mesmo cara do pub que você sempre toca aí na sua cidade. Logo, ele não conhece o seu trabalho e precisa ter uma ótima impressão.

Banda de rock toca ao vivo

Profissionalismo em uma banda não é qualidade, mas sim obrigação (Foto/Pexels)

Ainda sobre profissionalismo, evite estrelismos e atitudes que azedam qualquer relacionamento artístico. Exigir hotel de 5 estrelas ou cobrar cachês fora da realidade, são apenas duas das coisas que não podem entrar em cena. Chegar atrasado para o show ou subir no palco despreparado [lembrando que essa preparação envolve afinação dos instrumentos, definição de repertório, etc e tal], representam duas das maiores formas de desrespeito que um artista pode disparar contra o público.

2. Tenha uma estratégia e faça contas

Você pode começar descobrindo quais são as casas de shows em que artistas do seu estilo musical costumam tocar nas cidades desejadas. Para ter esse levantamento em mãos, nada melhor do que fazer uma boa pesquisa nas redes sociais e sites dos jornais locais. É importante, também, ficar antenado nos eventos e festivais que tenham alguma relação com o seu tipo de música, bem como estabelecer contatos com produtores locais e outros artistas da região com quem você possa exercer algum tipo de conexão.

Depois que fizer o networking e levantamentos de locais para shows, coloque tudo na ponta do lápis. Considere todos os gastos, inclusive despesas de logística [transporte, alimentação e hospedagem] para definir se a remuneração vai ser na base do cachê, bilheteria ou permuta. Ah, se possível tente descolar um apoio local para ajudar a arcar com essas demandas.

Uma banda tocando ao vivo

Um show sempre deve ser bem planejado (Foto/Pexels)

Além desse trabalho de bastidores, você precisa fazer um bom show. A apresentação deve ser envolvente, convincente e agitar o cenário. A medida em que o seu trabalho causa impacto e conquista certa notoriedade, você consegue aumentar seu poder de negociação e – consequentemente – agendará shows com condições financeiras mais favoráveis.

Mas acima de tudo, nunca é demais reforçar que a existência de circunstâncias em que tocar sem receber pode ser interessante. Se houver os chamados retornos indiretos, como aparecer no radar de outros agitadores culturais, ou cativar público influente ou ter uma visibilidade de imprensa, você sairá no lucro. Caso perceber qualquer indício de exploração, simplesmente não aceite a proposta.

3. Prepare sua volta

Para fechar a lista, nada melhor do que um item que está diretamente conectado aos dois anteriores. Sempre que agendar um show em uma cidade, pense na possibilidade de voltar lá para outras apresentações. Esse retorno, inclusive, é um bom começo para planejar shows nas cidades adjacentes.

Banda de rock independente tocando ao vivo

Uma boa apresentação, quase sempre, engorda a agenda de uma banda (Foto/Pexels)

Mas para conseguir fidelizar essa relação com contratantes e públicos, você precisa ter uma boa performance em cena e nos bastidores. Não adianta, por exemplo, ter uma boa atuação no palco, mas chegar atrasado ou causar desordem no backstage. Portando e para tanto, prepare uma apresentação inteligente, profissional, sedutora e arrebatadora. Entregue ao público o que ele quer, mas não se esqueça de ser legal com quem arquitetou a presença de sua banda no palco.

Por fim, mas não menos importante:

Agora é só você fazer suas reflexões e dar os passos para descolar uns shows interessantes!

E já que o papo aqui é sobre dicas de carreira, não deixe de dar uma conferida nos outros posts da coluna Dicas de Carreira. Que tal, por exemplo, conferir algumas lições que o Tiago Iorc tem pra você? Ah, por aqui também você consegue alguns toques para recuperar a inspiração para compor novas músicas?

E não se esqueça de compartilhar o link deste post nas suas redes sociais e grupos de WhatsApp voltados para carreira artística 😉