Você já se perguntou, ao menos uma vez, se música alternativa/independente são a mesma coisa? Não, não são! E acredite, é uma dúvida bastante comum. Principalmente, por serem estilos que, embora crescentes, no passado, não tinham tanta visibilidade na mídia e eram tratados como iguais.

Pensando nisso, nos próximos parágrafos, tentamos explicar melhor o que é cada um deles, além de claro, as diferenças. Ao final, ainda damos algumas dicas para quem é artista independente e/ou alternativo divulgar suas músicas. Confira a seguir e aproveite!

Qual a diferença entre música alternativa e independente?

Música alternativa e música independente não são a mesma coisa. A primeira refere-se a um subgênero musical, surgido da música independente. Já a segunda, também chamada música indie, diz respeito às canções produzidas sem o respaldo de uma gravadora. Logo, pode envolver uma abordagem autônoma na produção e também na divulgação.

O que é música alternativa?

Agora que já explicamos, de fato, qual a diferença entre os dois, podemos falar sobre o que é a música alternativa e quais são as suas características. Em resumo, ela surgiu atrelada à história do rock.

Segundo alguns registros, a música alternativa nada mais é do que um novo estilo do rock, surgido por volta dos anos 80 e 90. Naquela época, ela havia recebido o nome de rock universitário devido a importância que tinha nas rádios universitárias.

Muito por causa do novo som criado, que não se baseava nem no heavy metal, nem no new have, que eram os estilos mais populares na época. O tempo passou e começou a mudança para o nome que conhecemos hoje. Lado a lado, outros subgêneros surgiram atrelados, como:

  • indie rock;
  • brit-pop;
  • grunge, entre outros.

Artistas alternativos que você provavelmente conhece: Radiohead, Rubel, Lana Del Rey, etc.

O que é música independente?

Já a música independente surgiu associada ao rock independente. Mais especificamente, por volta dos anos 80, lá nos Estados Unidos e no Reino Unido. Os artistas dentro de estilo buscam criar uma carreira independente, em que eles traçam os próprios caminhos e escolhem o que querem. Por consequência, acaba se tornando mais distante do mercado comercial, todavia não menos lucrativo.

No passado, os discos costumavam ser distribuídos nos próprios shows e/ou com o apoio de gravadoras independentes. Hoje, com a invenção e popularização da internet, ela se mostra como uma das principais aliadas para trazer visibilidade a esses nomes.

O próprio Palco MP3 é um exemplo disso. Oferecemos as melhores e mais completas soluções para músicos independentes. Podemos ajudar na gravação – on ou off-line -, como podemos, também, auxiliar na divulgação.

Se quiser saber mais, entre em contato com a gente e vamos conversar sem compromisso!

Artistas independentes que você provavelmente conhece: Emicida, Hungria, Tulipa Ruiz, etc.

Como divulgar sua música?

O último tópico do nosso conteúdo, no entanto, não menos importante, é sobre como divulgar sua música. Já temos textos específicos, além de um vídeo no YouTube que fala sobre o tema. Sendo assim, buscamos trazer 3 dicas que consideramos essenciais para qualquer cenário.

1. Seja estratégico

A primeira delas é sobre a importância de ser estratégico. Quando falamos de música alternativa/independente, é fundamental saber como se divulgar. Até porque, normalmente, o artista não conta com a parceria de grandes gravadoras .

Por isso a importância de ser estratégico. Tanto para conseguir aproveitar melhor a sua verba, como para conseguir potencializar seus resultados. É importante ter clareza de que quando falamos “seja estratégico”, abordamos não só a importância de definir um objetivo para nortear seu planejamento, como todas as ações subsequentes.

2. Use a tecnologia a seu favor

Como dito anteriormente, hoje em dia, a tecnologia – em especial a internet – são as nossas principais aliadas. Com ela, é possível alcançar novas audiências e conquistar espaços disputados na vida real. Um exemplo disso são as playlists.

Com uma boa estratégia e um bom som, você pode cantar ao lado de grandes nomes da música, sem ter que pagar valores exorbitantes.

Em paralelo, a tecnologia pode ajudar a tornar o seu trabalho ainda melhor. Atualmente, já existem programas capazes de simular uma gravação de estúdio na sua casa. Fora os mais variados softwares de edição, que podem ajudar a lapidar o seu trabalho.

3. Alie-se a quem realmente entende de música

A última dica é se aliar a quem realmente entende de música. A Internet rompeu com as barreiras geográficas e a dificuldade de ter acesso a grandes nomes do mercado. Hoje, com poucos cliques, você tem a chance de conversar com quem quiser.

Isso sem falar nas várias comunidades de artistas independentes, que podem oferecer os contatos necessários para quem está começando agora.

Conheça o cenário da música independente brasileira

Ao longo do conteúdo, explicamos melhor a diferença entre música alternativa/independente. E aí, gostou do recorte que fizemos?

Por fim, queremos fazer um convite. Acesse as nossas playlists e conheça o melhor do cenário independente!