Ter músicas gravadas por grandes artistas é uma realização e tanto, hein? Não é pequeno o número de compositores profissionais que conseguiram um lugar ao sol.

Thallys Pacheco, por exemplo, pagou a faculdade do irmão com os valores que recebeu por ser o autor da canção Sosseguei, hit da dupla Jorge e Mateus. Outro bom exemplo é o praticamente imbatível Bruno Caliman, que já emplacou sucessos nas vozes de Munhoz e MarianoLuan SantanaGusttavo LimaZezé di Camargo e Luciano, entre outros. Desde 2007, Caliman aparece com pelo menos um sucesso entre as 10 mais tocadas.

Bruno Caliman é um dos compositores mais bem sucedidos da música brasileira atual (Reprodução/YouTube)

E ainda temos o carioca Alvin L., que atualmente vive das arrecadações de sua obra. Parceiro número da banda Capital Inicial, Alvin diz que vive “muito bem, dentro de um estilo de vida modesto, porém confortável”.

Como há muitos compositores antenados no Palco MP3, nada mais justo do que darmos umas dicas para essa galera! Afinal, os compositores são uma das engrenagens que nos ajudam a divulgar a “novíssima música brasileira”.

1. Faça, aconteça e apareça!

Se você gosta e tem talento para compor músicas, não guarde suas criações na gaveta! Procure gravar boas demos para suas músicas e disponibilize o material nas plataformas importantes para a vida profissional de um artista. A Marília Mendonça, por exemplo, já confessou que “pescou” a música “Alô Porteiro” no Palco MP3, conforme você pode conferir no vídeo abaixo:

De repente, você coloca seu som no Palco e é ouvido por um artista que pode te catapultar sua carreira rumo ao sucesso!

2. Não tenha medo das editoras!

Uma boa alternativa também é colocar sua música nas mãos de uma editora. Entre suas inúmeras tarefas, a turma das editoras faz a sua música chegar aos artistas de sua preferência, ou aos mais adequados para fazer a gravação. (Atenção: o fato de sua música ser apresentada ao artista não quer dizer que, necessariamente, o artista vai querer gravá-la.)

A editora tem um departamento jurídico preparado para fiscalizar e garantir que a obra não seja usada de forma desautorizada. Outras importantes atribuições da editora:

  • negocia valores de liberações para que uma determinada música seja gravada por outros artistas, ou usada para qualquer outro fim na indústria fonográfica;
  • notifica artistas que gravaram e/ou publicaram a sua obra sem autorização;
  • cuida da liberação para artista, gravadoras ou emissoras acerca da obra quando ela for gravada por artistas consagrados;
  • emite a liberação para que a música seja executada publicamente, por exemplo: se o artista que gravou sua música for 10 vezes na TV, a editora tem que emitir 10 vezes a autorização para a música ser tocada e assim garantir que você receba pelas 10 vezes que a música foi tocada;
  • monitora se as emissoras fazem os devidos pagamentos para o Ecad.

É importante você saber que o trabalho da editora não é, e nem pode ser, de graça. Depois que faz a edição da música, você cede parte dos direitos para a editora. Os contratos baseados nas normas de editoras no Brasil normalmente preveem um percentual de 25% para a editora. Caso o compositor tenha obras gravadas e que estão sendo vendidas em álbuns de outros artistas, a administração de direitos autorais nas plataformas digitais é 30% para editora.

Dicas de ouro:

1. Por questões de ética, nós optamos por não indicar nenhuma editora. No entanto, recomendamos que pesquise sobre a trajetória da editora, e assim se informe sobre o passado e os casos de sucesso que ela tem no currículo; procure saber se a editora possui um departamento jurídico, pois é essa equipe que vai ficar de olho para saber se não há terceiros se aproveitando de sua obra; e investigue quais artistas trabalham com a editora.

2. Saiba que a melhor editora nem sempre é a mais próxima de sua casa! Por isso, não tenha receio de morar em um cidade e contar com editoras de outros estados para cuidar de seus interesses!

3. Ouse, desafie e conquiste!

O já citado Thallys Pacheco é um exemplo de ousadia! Natural da cidade de Divinópolis, centro oeste de MG, ele começou compondo para artistas da região. Com o tempo, a confiança nas composições foi aumentando e ele decidiu que precisava encarar o desafio das mudanças. Como? Simples: foi de “mala e cuia” para Goiânia, a capital nacional do sertanejo.

Pacheco e sua grande “fada madrinha”, a dupla Jorge e Mateus (Foto/Facebook)

Chegando na nova cidade, Pacheco tratou logo de fazer network e foi chegando nos profissionais  mais indicados para ouvir suas músicas. Em entrevista ao UOL, o compositor relembrou como foi a apresentação da música “Sosseguei” para Wendel Vieira, o Nuxx, empresário de Jorge e Mateus:

“Ele me disse que tinha gostado da moda e pediu para eu mandar a música para ele. Mas eu fui atrevido e disse que só cantaria de novo na presença do Jorge. Duas semanas depois eu estava lá no escritório deles”

Viu só o tamanho da ousadia de Pacheco? Claro que uma reunião com um empresário, não é algo tão fácil de se conseguir. Porém, você pode vasculhar nos sites dos artistas e verificar quem tem os campos “envie sua música”, “área do compositor” ou qualquer coisa que o valha. De repente, essa pode sua primeira porta de entrada para um grande escritório!

Dicas de ouro: 

1. Só envie músicas para terceiros, inclusive por whatsapp, depois que fizer os registros e garantir sua propriedade sobre a obra. Lembre-se que você é o responsável por fazer com que seus direitos autorais sejam respeitados.

2. Relembrando o item um desta matéria:  “procure gravar boas demos, ou seja, não envie gravações de baixa qualidade técnica para profissionais da indústria fonográfica. Uma gravação amadora pode, literalmente, “queimar o seu filme”.

P.S.:

Já que o assunto desta matéria é uma questão que envolve “profissionalismo”, nós temos algo mais para você dar aquela turbinada na profissionalização de sua carreira! Confira os links abaixo e não se arrependerá!